segunda-feira, 04 de julho de 2022

Notícias

In:

Profissionais do HEA são treinados sobre captação de órgãos e tecidos para transplantes

Por Tony Medeiros

Capacitação foi realizada pela enfermeira do NET da Sesau, Claudete Maria Balzan

Respeito, Empatia e Autenticidade. Estas três palavras foram muito utilizadas durante treinamento realizado para profissionais da saúde do Hospital de Emergência do Agreste (HEA), em Arapiraca. A capacitação teve como temática a necessidade de uniformizar condutas frente a um potencial doador de órgãos na instituição.

A enfermeira do Núcleo de Educação Permanente (NEP) da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Claudete Maria Balzan, repassou explicações sobre procedimentos aplicados na captação de órgãos e tecidos para transplantes. “A causa da doação de órgãos e tecidos envolve educação permanente para os profissionais. Por isso precisamos estar constantemente atualizados e capacitando as equipes para multiplicar a ideia de todos serem doadores de órgãos e tecidos”, explica Claudete Maria Balzan.

A capacitação focou na importância da captação de órgãos dentro do HEA

“Temos uma fila com mais de 500 alagoanos aguardando transplante. E nós existimos em função deles. Quanto mais capacitarmos profissionais e, com o envolvimento da comunidade decidindo ser doadora, mais órgãos e tecidos teremos”, ressaltou.

Ela ainda relata que a perda de um ente querido é um dos momentos mais sofridos e dolorosos para familiares e amigos, mas que também é um ato de extrema generosidade fazer a doação de órgãos e tecidos e ajudar outras pessoas a sobreviverem. “No momento da abordagem é preciso ter respeito, empatia e autenticidade com os familiares. Ouvir, entender e falar sobre a importância da doação. Para ser doador só precisa comunicar à família. São momentos de extremos com a perda do familiar, mas também de muita emoção em poder ajudar outras pessoas”, finalizou Claudete Maria Balzan.

Claudete Balzan ressaltou que há uma fila com mais de 500 pessoas aguardando por um transplante, então a captação é imprescindível

A Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) do Hospital de Emergência do Agreste está em fase de estruturação organizacional para a captação de órgãos e tecidos. O primeiro objetivo é fazer a captação de córneas, quando o serviço estiver sendo oferecido, na prática, no HEA.

“O treinamento sempre traz muito conhecimento para toda a equipe e dá uma injeção de ânimo estimulando a vontade de desenvolver as ações no hospital. A comissão é uma realidade e estamos nos organizando para que, em breve, a captação de órgãos e tecidos seja uma realidade no HEA”, explicou Joelma Araújo, coordenadora da Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) do HEA.

“Toda e qualquer atividade que possa colaborar com o salvamento de vidas será bem-vinda e encarada com seriedade pelos profissionais que atuam no Hospital de Emergência do Agreste. Os treinamentos colocam todos os setores no mesmo patamar de entendimento sobre a importância da doação de órgãos e tecidos e quais os procedimentos primordiais para que a captação aconteça de maneira humanizada e correta”, garantiu Bárbara Albuquerque, gerente do HEA.

Legenda 1: A enfermeira Claudete Maria Balzan levou informações sobre o processo de Humanização para captação de órgãos e tecidos

Legenda 2: Bárbara Albuquerque, gerente do HEA, explica que treinamentos são importantes para a dinâmica do serviço

Legenda 3: Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes (CIHDOTT) do HEA foi implantada e está em fase de estruturação

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *