sexta-feira, 15 de outubro de 2021

Notícias

In:

Movimento Povos das Lagoas planta árvores em homenagem à vítimas fatais e sobreviventes da Covid-19

Por Hannah Copertino

Entre os homenageados, estão bombeiros militares e o artista Arnaud Borges

Plantar árvores em nome das pessoas que partiram por consequência da Covid-19, em homenagem aos sobreviventes e em agradecimento aos profissionais que atuam na linha de frente contra a pandemia, promovendo recuperação de uma área degradada. Essa é a essência da Campanha Bosque da Memória em Alagoas, projeto que cultiva afeto e busca colher melhorias no meio ambiente.

O projeto, que vinha sendo trabalhado na preparação das mudas, terá o seu primeiro plantio neste domingo (25/07), às 7h, na Área de Proteção Ambiental (APA) de Santa Rita. Serão plantadas 20 mudas de mangue vermelho – Rhizoflora Mangue, na Ilha da Miss Sururu, local que vem sendo área de ação do Programa de Recuperação de Área Degradada (PRAD).
“Este plantio vai homenagear bombeiros militares, profissionais da cultura, da saúde, entre médicos e enfermeiros, e da comunicação, levando uma mensagem de esperança em dias melhores e de agradecimento pela dedicação e cuidado ao próximo, além de contribuir com a recuperação de uma área ambiental degradada, que leva o nome de uma saudosa catadora de Sururu, que ficou conhecida como Miss Sururu”, explica Alonso Calheiros Netto, CEO da Startup Enxame REDD+.
O evento de plantio acontecerá seguindo os protocolos sanitários. Entre os homenageados, estão os bombeiros militares Cabo Schyrley Suzan Santos Barros, capitã Ana Paula Ramos Rodrigues, os sargentos Gedilson Laurindo de Oliveira, José Antônio Lima dos Santos e José Nerivaldo de Oliveira dos Santos, além da enfermeira Carla Perdigão, do jornalista Átila Vieira e do artista Arnaud Borges.
A Campanha Nacional dos Bosques da Memória recebe o apoio da Rede de Ongs para a Restauração da Mata Atlântica na elaboração e apoio técnico do Bosque da Miss Sururu, no Pontal da Barra, Maceió. Para saber mais sobre a campanha, basta acessar:  www.bosquesdamemoria.com .
A ação marca o retorno do Projeto Mundaú Lagoa, realizado por meio do PRAD com contrapartida do Cineclube Mundaú, com produção da Startup Coletivo Enxame Produções Ambientaks e Sambacaitá Produções e produção executiva de Keka Rabelo. Em Alagoas, a iniciativa conta com o apoio do Instituto do Meio Ambiente (IMA), do Corpo de Bombeiros e da Diretoria de Teatros do Estado de Alagoas (Diteal).
Sobre a campanha:
O ano de 2020 foi difícil devido à pandemia, que parou o mundo causando muitas mortes, à crise climática e às tragédias ambientais, como os incêndios e os desmatamentos, que destruíram muitas florestas no Brasil.
O grande objetivo da campanha Bosques da Memória é plantar árvores e recuperar florestas, como um gesto simbólico em homenagem  às vítimas da COVID-19 e em agradecimento aos profissionais de saúde no Brasil.
Essa campanha é uma promoção conjunta da Rede de ONGs da Mata Atlântica – RMA, da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica – RBMA e do PACTO pela Restauração da Mata Atlântica. É  desenvolvida de forma participativa e colaborativa. Está aberta às pessoas e instituições interessadas, contando, desde o início, com várias entidades parceiras como a Associação em Defesa do Rio Paraná, Afluentes e Mata Ciliar – Apoena e a Associação Mico-Leão-Dourado – AMLD.
É também um espaço de divulgação de outras iniciativas que tem o mesmo objetivo e que vem sendo desenvolvidas por famílias, grupos e instituições.
A campanha Bosques da Memória, além de buscar a transformação desse momento de tristeza e devastação em esperança na Mata Atlântica, marca o início da Década da Restauração de Ecossistemas 2021-2030 declarada pela ONU.
Trecho extraído do site: bosquesdamemoria.com
Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *