terça-feira, 26 de Janeiro de 2021

Notícias

In:

Dezembro Vermelho: pandemia diminuiu registros de novos casos de HIV/AIDS no Hospital Helvio Auto

Por Assessoria

Em decorrência da pandemia de Covid-19, este ano, o Serviço de Assistência Especializada (SAE), do Hospital Escola Dr. Helvio Auto, unidade assistencial da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (Uncisal), não oferecerá testes abertos à população no dia 1º de dezembro, para evitar aglomeração, embora os testes possam ser realizados normalmente no Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) do hospital, as terças e quintas, seguindo os protocolos de segurança e distanciamento impostos pelas autoridades de Saúde.

O Dia Mundial de Luta contra a AIDS será marcado por ações educativas e distribuição de preservativos e folhetos explicativos para usuários e servidores do Hospital Escola Dr. Helvio Auto.

Durante o pico da pandemia observou-se uma diminuição no número de casos novos, o que pode ser explicado pelo próprio isolamento social, dificuldade de locomoção com a proibição de viagens intermunicipais e mudanças na forma das pessoas se relacionarem com a ascensão do “novo normal”.

De janeiro a novembro de 2019 o Hospital Escola Dr. Helvio Auto registrou 363 novos casos de HIV/AIDS, já em 2020, no mesmo período o número de novos casos foi de 310, englobando adultos, crianças, transmissões verticais (em que a mãe transmite para o bebê) e gestantes. Uma diminuição de 17,2%.

“No geral houve uma diminuição nos diagnósticos novos, ainda não sabemos se isso significa uma retração no número de infecções ou se é reflexo da baixa procura para testagem num momento de isolamento social, o que é o mais provável”, explicou o infectologista Fernando Maia.

Nos meses do pico da pandemia, até o Serviço de Profilaxia Pós-Exposição ao HIV (PEP) também foi menos procurado. De março a julho de 2020 houve uma queda de quase 20% na procura em comparação aos mesmos meses do ano anterior. A PEP é uma medida de prevenção de urgência à infecção pelo HIV, hepatites virais e outras infecções sexualmente transmissíveis (IST), que consiste no uso de medicamentos para reduzir o risco de adquirir essas infecções. Deve ser utilizada após qualquer situação em que exista risco de contágio. Trata-se de uma urgência médica, que deve ser iniciada o mais rápido possível – preferencialmente nas primeiras duas horas após a exposição e no máximo em até 72 horas.

Adequações causadas pela pandemia

O Serviço de Assistência Especializada (SAE) do Hospital Escola Dr. Helvio Auto, ambulatório responsável pelo tratamento e acompanhamento dos pacientes com HIV/AIDS e outras doenças infectocontagiosas, trabalhou de forma diferente para evitar o abandono ao tratamento. Os pacientes que tinham quadros de saúde estáveis puderam retirar a medicação para 3 meses de uso numa só consulta, para não necessitar se expor e correr o risco de se infectar com o coronavírus ao sair de casa, uma vez que os pacientes com HIV/AIDS estão no grupo de risco. Os demais pacientes compareceram nas datas agendadas ou vinham ao Pronto Atendimento do HEHA para tratar as intercorrências mais comuns.

Durante o período mais difícil da pandemia, alguns pacientes só descobriram que tinham AIDS quando procuraram atendimento por estarem com Covid-19 e foram transferidos para o HEHA, onde a equipe fez o diagnóstico diferencial para identificar a patologia, o que reforça a necessidade e a importância da testagem como rotina.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *