quarta-feira, 21 de outubro de 2020

Notícias

In:

Uma cidade inclusiva: Edmilson Sá poderá ser o primeiro cadeirante a assumir um cargo eletivo em Palmeira

Por Éder Patriota

A enfermeira Mosabelle Ribeiro foi buscar o bacharel em Direito e professor de História Edmilson Sá para ser seu vice-prefeito; Discurso de inclusão, com vida de desafios emociona eleitor

A convenção da candidata do PTB à prefeitura de Palmeira dos Índios Mosabelle Ribeiro (PTB) apresentado na ocasião (14) o nome do seu companheiro de chapa Edmílson Sá, último a ser escolhido dos três candidatos do pleito. O nome de Edmilson surpreendeu positivamente nos meios locais.

Natural de Cacimbinhas e residindo em Palmeira dos Índios há 38 anos, é bacharel em História pela Uneal e Direito pelo Campus Sertão do Cesmac, fundou a Associação dos Deficientes Físicos de Palmeira dos Índios (ADEFIPI) no último ano da última gestão de Helenildo Ribeiro (1992), além de ter sido diretor da Escola Estadual Humberto Mendes nos anos de 2010 a 2012, leciona a disciplina de História desde o ano de 2001, Edmilson Sá é filiado ao PTB desde o mês de abril do corrente ano, é o candidato a vice-prefeito na chapa de Mosabelle Ribeiro também filiada ao PTB numa chapa puro sangue.

Edmilson concedeu entrevista exclusiva à TRIBUNA DO SERTÃO onde falou dos principais objetivos de sua chapa para a prefeitura de Palmeira dos Índios na área social e de inclusão, além dos principais problemas da atual gestão.

Sobre os projetos para a cidade, caso seja eleito e que deseja executar nos próximos quatro anos, o candidato a vice-prefeito destacou os seguintes: “Implantar a inclusão e acessibilidade- romper as barreiras arquitetônicas da cidade como um todo; adaptar as vias e logradouros públicos, assim como todos os estabelecimentos com base na Lei 13146 / 2015 – que trata do Estatuto da Pessoa com Deficiência; Valorizar os professores, onde concederia a eles melhores condições de trabalho e salários, além de combater à perseguição ao funcionário público; Fomentar a cultura popular palmeirense, pontos culturais, grupos de dança e incentivar as produções audiovisuais; Humanizar e priorizar o atendimento às pessoas com deficiência; Promover a criação de residências inclusivas- criação de Unidades de oferta do Sistema de Acolhimento do Sistema Único de Assistência Social (SUAS); Criação da Secretaria Municipal das Minorias visando atender os povos indígenas, pessoas com deficiência, pessoas do público LGBT- Lésbicas, Bissexuais, Travestis, Transgêneros e Transexuais; Combater o preconceito e a discriminação na defesa dos Direitos Humanos; Promover à inclusão das pessoas com deficiência no mercado de trabalho”, enumerou.

Articulado e inteligente Edmilson retrata o município de forma metafórica: “Palmeira está doente e que precisa de uma enfermeira para tratá-la”, disse.

Já sobre os principais problemas da atual gestão, Edmilson Sá citou os seguintes: “Falta de política assistencial às pessoas com algum tipo de deficiência; Ausência de intérprete de libras nas escolas municipais; Sucateamento de logradouros e vias urbanas da cidade em geral (sem acessibilidade alguma); Ineficiência das rampas existentes atualmente- onde as mesmas não tem utilidade alguma; Obras executadas sem pensar na acessibilidade; Abandono às manifestações culturais populares como um todo; Inexistência de políticas direcionadas às pessoas com deficiência no mercado de trabalho; Falta de políticas e acessibilidade nos estabelecimentos comerciais de um modo geral”, declarou.

Ainda segundo Edmilson Sá, a saúde está totalmente abandonada, pois o setor carece de políticas públicas consistentes nas ações da atenção básica, o que é de responsabilidade dos entes públicos municipais, além de insumos nas Unidades Básicas de Saúde e um melhor atendimento nas que existem e na Unidade de Pronto Atendimento.

Atualmente em nenhum município do estado, o chefe do executivo ou o vice-prefeito é pessoa com deficiência. Contudo, sou o único candidato ao Executivo em Alagoas com algum tipo de deficiência. Anteriormente, só conheço parlamentares e secretários de estado e ou municípios, que exerceram a função com deficiência.

Emoção na convenção

Em seu discurso na convenção partidária, Edmílson demonstrou inteligência e relatou em sua fala um retrato do município, mostrando de forma metafórica que “Palmeira está doente e que precisa de uma enfermeira para tratá-la”, disse.

O candidato a vice-prefeito afirmou que o atual governo que se intitula “do povo”, faz uma corruptela da famosa frase de Abraão Lincoln, que um governo do povo é feito pelo povo e para o povo, o que não é o caso atual, disse o candidato.

As palavras de Edmílson Sá emocionaram a todos – quando ele expôs sua relação fraternal com a família Ribeiro – desde a época do saudoso ex-prefeito Helenildo Ribeiro, passando pelo ex-prefeito James e pela candidata Mosabelle: “Sempre me viram como cidadão, como homem. Nunca enxergaram a minha cadeira de rodas”.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *