domingo, 20 de setembro de 2020

Notícias

In:

Atlético faz 3 no 2º tempo, vence América e faz 14ª final seguida no Mineiro

O Atlético está novamente na final do Campeonato Mineiro. Após superar o América por 2 a 1 no Mineirão, no domingo, voltou a derrotar o adversário, nesta quarta-feira, agora por 3 a 0, no Independência. Os gols do triunfo saíram no segundo tempo e foram marcados por Réver, Marrony e Savarino.

Com isso, o Atlético se classificou pela 14ª vez seguida para a final do Campeonato Mineiro, não ficando fora da decisão desde 2006. O time, porém, perdeu as últimas duas, para o rival Cruzeiro, tendo sido campeão pela última vez em 2017.

O adversário do time dirigido por Jorge Sampaoli na decisão será o Tombense, classificado pela primeira vez a uma final estadual e que realizou a melhor campanha da fase de classificação. Nas semifinais, fez 1 a 0 na Caldense, no domingo, e 2 a 0, nesta quarta.

A Federação Mineira de Futebol ainda vai definir as datas da decisão, pois o Atlético inicia no fim de semana a participação no Campeonato Brasileiro – vai enfrentar o Flamengo, domingo, no Maracanã. Será, assim, preciso usar meios de semana livres do apertado calendário, sendo que o Tombense disputará a Série C.

O JOGO – Para o terceiro encontro em um período de pouco mais dez dias com o América, Sampaoli voltou a mudar a escalação do Atlético. Ele colocou o zagueiro Gabriel no lugar do lateral-direito Guga, que está de saída para o Spartak Moscou, e deu uma chance a Alan Franco no meio-campo.

Com essa formação, o Atlético fez um primeiro tempo equilibrado e sem muita efetividade dos times no ataque. Logo no começo, o América reclamou da não expulsão de Alonso por uma falta numa jogada de perigo, mas acabou sendo pouco efetivo para reverter sua desvantagem.

Já o Atlético parava na boa marcação do adversário e tinha duas apostas para se livrar dela: os lançamentos e a individualidade de Keno. Mas quem finalizou com perigo, duas vezes, foi Nathan, uma delas após boa jogada de Savarino. Foi com ele e Keno que o time construiu outra boa trama, que terminou com um chute para fora de Arana.

Assim, o Atlético ia impondo a sua superioridade técnica, embora sem vantagem tática. Só que as falhas defensivas quase mudaram o jogo no fim do primeiro tempo. Primeiro, Savarino não aproveitou erro de Juninho. Depois, foi a vez de Matheusinho forçar Rafael a fazer difícil defesa depois de erro de Alonso. Assim, o primeiro tempo terminou sem gols.

O começo da etapa final foi mais franco, com os times trocando ataques, como em uma finalização em que Ademir deu trabalho a Rafael. Só que aí o Atlético foi mais efetivo. Aos 11 minutos, Savarino cobrou escanteio pela esquerda, Réver subiu entre dois marcadores e cabeceou para as redes.

E a maior eficiência atleticana ficou clara no lance seguinte, quase igual, mas com o cabeceio de Eduardo Bauermann indo para fora. Pareceu ser o que Sampaoli queria para promover três mudanças no Atlético, promovendo a estreia do lateral-direito Mariano.

A partida também ficou ainda mais aberta. O América acreditava na virada e viu Rafael exibir mais uma vez segurança em finalização de Felipe Augusto. E com espaços, quem apareceu no Atlético foi Marrony. Teve chance aos 22 e marcou um golaço aos 28 minutos. Ele recebeu lançamento nas costas da defesa e chutou por cobertura para fazer 2 a 0.

A luta e organização do América o faziam não se entregar em campo e até lhe rendiam chances. Mas o Atlético aproveitava os espaços e teve várias chances até marcar pela terceira vez. Aos 39, após boa troca de passes, Hyoran passou para Savarino, que bateu e contou com a falha de Airton para definir o triunfo atleticano por 3 a 0.

Autor: Leandro Silveira
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *