sexta-feira, 07 de Maio de 2021

Notícias

In:

Sem auxílio emergencial: ex-servidores da prefeitura denunciam que seus nomes ainda constam na lista de funcionários

Por Redação

A Controladoria Geral da União (CGU) e o Ministério Público de Contas (MPC) anunciaram no início da semana (08) que notificaram a prefeitura de Palmeira dos Índios por possível irregularidade no pagamento do Auxílio Emergencial a servidores.

Os órgãos de controle detectaram pagamentos do auxílio governamental a servidores, o que é ilegal.

Porém após a veiculação da notícia outra suposta fraude ou erro foi detectado: ex-servidores do município (prestadores de serviço e ocupantes de cargos comissionados) que estão desempregados procuraram a redação da Tribuna do Sertão para denunciar que tentaram fazer o cadastro para receber o auxílio emergencial do governo, mas tiveram o pedido negado porque ainda hoje constam na relação de servidores do município.

O sistema do governo federal não aprovou o auxílio desses ex-servidores por não atender as exigências do cadastro, onde um dos pré-requisitos é não ser servidor público.

Acontece que alguns dessas pessoas já deixaram o quadro da prefeitura há mais de 3 meses, outros há mais de seis meses e outros há mais de 1 ano.

“Descobri que nunca deram baixa. Para o governo federal continuo trabalhando. A pergunta é quem está recebendo no meu lugar”, indaga um dos prejudicados.

Ex-servidores que deixaram o emprego ou foram demitidos há mais de 1 ano continuam fazendo parte dos quadros da prefeitura

Indignado um filho de um dos ex-servidores disse à Tribuna: “Ele está sem renda nenhuma e não pode receber o auxílio emergencial por que continua empregado na prefeitura de Palmeira dos Índios, sendo que desde 2019 ele foi demitido”, relata.

Revoltados com o descaso, pois estão em situação de  vulnerabilidade e precisam da colaboração do Governo Federal para sua subsistência, os denunciantes acusaram o prefeito Júlio Cézar (PSB) e a secretaria de Gestão Pública Cinara Barbosa como responsáveis pela situação.

Um servidor da prefeitura justificou no início de maio a uma das denunciantes que a prefeitura estaria retirando os nomes dos ex-servidores que ainda constavam na relação do Município e culpava o INSS pela demora, mas até o fechamento da matéria (neste sábado, 13) ainda não tinha sido realizada a retirada e os ex-servidores continuam prejudicados.

Informe da caixa sobre auxílio negado a ex-servidor, mas que consta ainda nos quadros da prefeitura

 

Sabe-se que os ex-servidores (em número expressivo) tentaram de todas as maneiras resolver a questão de forma administrativa, mas nunca conseguiram contato com a atual secretária de gestão pública – que é inacessível (a fama já extrapola fronteiras), vive encastelada, maltratando os “súditos” do imperador.

Sem ter acesso a quem deveria dar a resposta, os denunciantes procuraram a imprensa livre, a OAB que os encaminharam à Defensoria Pública para tentar resolver a questão de modo definitivo.

“Queremos nosso direito, estamos precisando do dinheiro. E a pergunta é: quem está recebendo em meu nome? Quem é o laranja que esta me prejudicando?”, indagou revoltada uma das pessoas prejudicadas.

Compartilhe:
Tags: ,,,,,,,,

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *