sábado, 11 de julho de 2020

Notícias

In:

Alunos da Rede Sesi/Senai e apresentam projetos na Febrace 2020

Por Assessoria

Nove escolas alagoanas, entre elas a Sesi Cambona e Sesi/Senai do Benedito Bentes, participam da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace), o maior evento do segmento no país. Nesta edição, aberta virtualmente no último dia 23, estão em exposição virtual 345 projetos finalistas, desenvolvidos por 761 estudantes do ensino fundamental, médio e técnico de 295 escolas.

Os vencedores serão anunciados no próximo dia 4 de abril. Até lá, os finalistas apresentarão seus projetos para bancas de pesquisadores e especialistas e serão avaliados à distância, por teleconferência fechada. Devido à pandemia de Covid-19, a programação presencial do evento, que seria realizada em São Paulo, foi cancelada. O público também pode escolher a sua ideia favorita, que levará o Prêmio Votação Popular. Basta dar uma curtida.

O projeto “Reutilização de pneus na construção de pisos táteis”, da Escola Sesi Cambona, pode ser curtido no link febrace.org.br/virtual/2020/ENG/48. Já o projeto “Desenvolvimento sustentável e empreendedorismo: A produção de biogás a partir do reaproveitamento de resíduos sólidos”, da Escola Sesi/Senai, pode ser avaliado no endereço febrace.org.br/virtual/2020/ENG/38.

Além disso, a professora da Rede Sesi/Senai Islane Rafaelle Rodrigues França concorre ao Prêmio Professor Destaque. Foram 34 professores inscritos de todo o Brasil e ela ficou entre os 10 finalistas. “Mesmo sendo professora de Língua Portuguesa, oriento projetos de engenharia, pois minha visão é que o professor-orientador deve direcionar os alunos nesse caminho de investigação e não, simplesmente, dar a resposta”, disse ela, que orienta o projeto de biogás.

Biogás

Orientados pela professora Islane, os alunos da Escola Sesi/Senai Ellen Cristine Monteiro Lucas, Matheus Gomes Januário e Nathanny Dias Teles pensaram em uma forma de dar utilidade ao lixo orgânico.

“Esses resíduos que antes seriam descartados de maneira incorreta, poluindo a natureza, agora, por meio deste projeto, poderão ser inseridos em um processo de biodigestão amenizando os impactos negativos no meio ambiente. (…) O biodigestor artesanal utiliza os resíduos orgânicos para a produção de energia renovável, o biogás, podendo ser utilizado em fogões a gás, lareiras, aquecedores entre outros fins para o consumo doméstico”, diz a descrição do projeto.

A iniciação científica gera projetos bons para a sociedade, além de transformar a vida dos alunos. Ellen Cristine conta que se tornou uma estudante diferente desde que passou a integrar a equipe Bioart. Agora, é se concentrar na feira nacional. “A Febrace agora é via internet, não vai ser a coisa de um presencial, mas iremos como toda força e garra”, afirmou.

Pneus reciclados

De autoria dos alunos Antônio Pedro Ferreira da Silva, Beatriz de Araújo Pulcino e Lídia Beatriz Tenório Bandeira de Mendonça, orientados pela professora Andrea Silva Souza, o projeto visa à reutilização de pneus que, descartados irregularmente, levam até 600 anos para se decompor na natureza.

A ideia é reaproveitar essa matéria-prima na produção de pisos táteis sustentáveis para deficientes visuais e de baixa visão. Assim, auxilia na acessibilidade dessas pessoas, bem como contribui na diminuição da poluição ambiental.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *