terça-feira, 07 de Abril de 2020

Notícias

In:

Sem NY, Bolsa sobe com alta de commodities, mas bancos limitam ganhos

Sem a direção dos mercados acionários em Nova York pelo feriado do dia do presidente nos Estados Unidos, mas refletindo a recuperação das commodities no mercado internacional, o Ibovespa encerrou a sessão aos 115.309,08 – subindo 0,81 dos 114.381,36 pontos da abertura. Nesse contexto, as ações da Vale e de empresas correlatas se destacaram em sessão de vencimento de opções sobre ações que movimentou R$ 8,47 bilhões. O giro do dia alcançou R$ 26,4 bilhões.

“Hoje vemos a Bolsa recuperando terreno, principalmente por causa de melhora do humor no exterior com a recuperação de commodities e, localmente, notícias corporativas”, pontua Raphael Figueredo, da Eleven Financial Research. Nesse sentido também ajudam as perspectivas positivas para a boa perspectiva dos balanços de Petrobras e Vale a serem divulgados na quarta e quinta-feira, respectivamente.

Com o maior peso na carteira teórica do Ibovespa, as ações preferenciais do Itaú, em queda, assim como seus pares Bradesco e as ordinárias do Banco do Brasil fizeram o contraponto e limitaram o ímpeto de alta do índice à vista. Na avaliação de Álvaro Bandeira, economista-chefe do banco digital ModalMais, os investidores de ações do setor financeiro estão ressabiados com a concorrência. Nesse sentido, a criação de um grupo pelo Banco Central para acelerar as fintechs pesa. “A inflação caindo e a abertura para maior redução de juros e dos spreads bancários também influenciam”, nota.

Boletim Focus divulgado pelo Banco Central trouxe mais uma rodada de redução das projeções dos economistas do mercado financeiro para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) e para a inflação. De acordo com o relatório, a expectativa de crescimento neste ano caiu de 2,30% para 2,23%, sendo que há quatro semanas, era de 2,31%. Já a mediana para o IPCA em 2020 ano foi de alta de 3,25% para 3,22%. Há um mês, estava em 3,56%. Para 2021 seguiu em 3,75%.

Figueredo chama a atenção para a temporada de balanços, que têm vindo positivos e acabam colaborando para “segurar” a Bolsa brasileira ou para fazer com que a queda seja mais branda em um ambiente ainda de incertezas a respeito dos impactos econômicos globais por causa do surto de coronavírus.

Autor: Simone Cavalcanti
Copyright © 2020 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com