terça-feira, 18 de Janeiro de 2022

Notícias

In:

“A Romaria dos Prefeitos”

Por Oduvaldo Persiano

Tem – se observado uma verdadeira romaria dos Prefeitos implorando por recursos e apoio do Governo Federal para manter, pelo menos, a Máquina Administrativa funcionando e pequenos Projetos em andamento e/ou elaborados.  A forte centralização que caracteriza, sempre, o Sistema Presidencialista, gera um massacre e uma humilhante subordinação à soberana vontade do Presidente, fenômeno que se perpetuou com o advento da República.

Um País não sobrevive exclusivamente, de seu Palácio Presidencial, seus Ministérios, Agências reguladoras, Estatais e demais Órgãos. Sua força está exposta no princípio da Soberania que, em verdade, fica representado pelos Estados e Municípios. Estes, evidentemente, abrigam todas as riquezas nacionais, envolvendo solo, sub-solo ( jazidas valiosas), ferrovias, rodovias, portos, aeroportos, indústrias, etc, etc.   A arrecadação dos pesados impostos que são canalizados à Receita Federal,( quase sempre mal utilizados), pois deveriam ser revertidos cm objetividade e eficiência, prioritariamente, na educação, saúde, segurança, estradas, etc, etc., são desviados para cobrir despesas supérfluas e desnecessárias.

 Por que manter tantos Ministérios, Agências que quase nada regulam e são cabides de empregos, Embaixadas sem nenhuma significação sócio-econômica-social; Estatais sugadoras do Tesouro, muitas exercendo atividades próprias da iniciativa privada, com bem menos custos ?  Some-se a isto, os famigerados Cartões Corporativos que servem até para compra de Tapioca e outros penduricalhos que atendem a interesses políticos, sem qualquer sentido prático em defesa da Nação!… As benesses fiscais que são comumente oferecidas a Grandes Empresas e Indústrias de porte elevado, não alcança, induvidosamente, os consumidores. Com efeito, se tivesse uma fiscalização eficiente, iria encontrar fortes níveis de satisfação dos que foram diretamente beneficiados. Os Planejadores de plantão sabem manejar  com maestria a caneta e , como sabemos, o papel aceita tudo que nele se escreve.

O Nordeste, Região  que contribui com cerca de 14% do Produto Interno Bruto , porém desprezado, abrigando  uma gente boa, trabalhadora, honesta e sofredora, precisa de investimentos em torno de 26 bilhões, consoante diagnóstico contido no estudo  Nordeste Competitivo, elaborado pela Confederação Nacional da Indústria. Este recurso seria aplicado nos Estados de Alagoas , Pernambuco, Ceará, Bahia, Maranhão, Sergipe, Piauí, Paraíba e Rio Grande do Norte. Destinar-se-ia especificamente para ampliação de  e modernização de Rodovias, Ferrovias, Hidrovias e Portos,, atendendo às necessidades da populosa Região. Não deslembrar que o ex-Presidente  Temer liberou cercas de 3 bilhões para o Rio de Janeiro , que já ostenta o “ pomposo título “ de Estado que produziu e mandou para a Cadeia vários ex-Governadores.  Esta dinheirama foi simplesmente para cobrir gastos com funcionalismo que é generosamente bem remunerado e 2 Eventos plenamente dispensáveis, mormente diante da crise que se abatia: Copa do Mundo e Olimpíadas. Felizmente o 7×1 veio  salvar o afogado ! Com a palavra a Bancada Nordestina no Congresso. Os eleitores ficarão vigilantes.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *