quarta-feira, 24 de Fevereiro de 2021

Notícias

In:

Livro lançado durante SBPC aborda o crescimento do Nordeste desde 2002

Por Redação com Fecomércio

FELIPPE ROCHA

Durante a 70ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que ocorre essa semana, na Universidade Federal de Alagoas (Ufal), estão previstos lançamentos de vários livros. Dentre eles, o título Desenvolvimento e Economia Regional que traz um debate importante e recente para o desenvolvimento do Nordeste e os direcionamentos para manutenção do seu próprio crescimento.

O livro faz uma análise de 2002 até agora. Trata-se de um esforço coletivo do mestrado em Economia Aplicada da Ufal e todos os autores são mestre ou doutores. Um dos capítulos é fruto da análise do assessor econômico da Fecomércio e professor da Ufal, Felippe Rocha. O capítulo 1 – Fatores determinantes do crescimento econômico dos estados da região Nordeste, produzido também pelo professor Thierry Molnar, traz uma avaliação. “Tentamos escrever sem a linguagem acadêmica para que o debate seja mais acessível ao público. O livro nos permite pensar o futuro, quando aborda que tipo de política deve ser aplicada”, afirmou.

De acordo com Felippe, o conteúdo procura entender porque a região cresce ou não, o papel das políticas públicas e outra variante é o empresário e o seu papel no desenvolvimento do Nordeste (NE). “Abordamos o papel significativo da educação e da saúde para o desenvolvimento econômico e qual a dinâmica de transformação das indústrias no Nordeste”, ressaltou.

O livro mostra que as indústrias se polarizaram. Em Alagoas, com o polo álcool químico; e Pernambuco, petróleo e alimentos. A indústria têxtil no NE é ínfima.

O título aponta que Alagoas cresceu a partir de 2002 por conta do Governo Federal por meio de estradas e cursos profissionalizantes, que têm um impacto significativo na economia, bem como a infraestrutura social (educação, saúde e cultura). “Alagoas demonstra que somos muito dependentes do governo federal para crescer”, frisou, indicando a agricultura familiar como um caminho para o desenvolvimento alagoano porque fortalece o potencial natural e descentraliza renda.
Já o crescimento da Bahia foi provocado pelo investimento privado dos empresários, assim como nos estados do Ceará e Pernambuco. Essas e muitas outras informações podem ser encontradas no livro Desenvolvimento e Economia Regional que será lançado hoje (23), na Ufal.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *