quarta-feira, 17 de julho de 2019

Blogs

O terror do palácio do governo

Em uma análise matemática e isenta está longe de ser confortável a situação do governador Renan Filho com relação a sua reeleição em 2018. No interior sua avaliação é favorável com uma boa vantagem, o que é natural por ter o controle da máquina administrativa, que ao mesmo tempo é uma “máquina de fazer votos”. Acontece que nem tudo são flores e os palacianos se mostram assustados com alguns fatos: as intenções de votos precisam melhorar, pois o percentual não é confortável, os índices de rejeição ao governador também são consideráveis em praticamente todos os municípios e o mais grave: está, por enquanto, disputando sozinho, uma vez que não há nenhum adversário com  candidatura lançada.

O governador sabe que quando a campanha começar pra valer, no próximo ano, vai ter pouco o que mostrar diante do muito que prometeu nos palanques e nos programas do horário eleitoral. Durante seu mandato continuou fazendo promessas não cumpridas fato que tem levado seu governo ao descrédito diante do eleitorado.

Nas bastassem os problemas citados há uma lista de escândalos envolvendo vários órgãos do governo estadual, nenhum deles ainda esclarecidos a exemplo do rombo de mais de 300 milhões da Secretaria de Saúde, a fraude no Mestrado da Universidade Federal de Alagoas, envolvendo altas figuras da administração estadual e que continuam sob investigação, mas mantidos nos cargos, há denúncias de fraudes em licitações e outros desvios de conduta em confronto com princípios morais e legais. Como justificativa o governador apenas culpou a imprensa.

Outro ponto preocupante entre os aliados palacianos é a presença inevitável ao lado do governador da figura emblemática de seu pai, senador Renan Calheiros, candidato também à reeleição, com uma rejeição estratosférica e com mais de 17 denúncias de corrupção no Supremo Tribunal Federal. Claro que ele será a pauta principal dos debates na disputa.

Há uma preocupação maior agora no palácio República dos Palmares. Quem será o adversário a ser enfrentado? Torcem para que seja alguém em condições de ser derrotado, mesmo diante de tanta adversidade. Tremem, têm pesadelos, e noites insones apenas com a possibilidade de surgir um nome: Rui Palmeira, prefeito de Maceió, que ainda não decidiu se é candidato, preferindo cuidar dos problemas de sua administração.

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com