segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Blogs

O amor é caro demais

O amor tem cor, endereço, nome de banco e instrução. Tem também nome famoso e prazo de validade. Está em mutação de acordo com a moda primavera-verão ou de acordo com os grandes estilistas.

Amor nada tem a ver com sentimentos e aspirações – para milhares de pessoas.

Quem já não foi barrado em um embrião de relacionamento por não cumprir as exigências do “mercado”?

Quem não é preto e é visto de soslaio ao namorar uma branca?

Quem nunca se sentiu menosprezado por não estar em um relacionamento cujo diário não é igual a de outros tantos elitistas?

Pode parecer que o sentimentalismo domina os “apaixonados” de plantão. É só aparência mesmo. Poucos relacionamentos resistem à distância, ao não querer ficar para trás na corrida exibicionista entre os amigos, ao caos de estar entre individualismos pobres – de intelecto e de pretensão.

O amor é um sentimento caro. A fatura é sempre salgada para quem não quer gastar com outra pessoa ou consigo mesmo.

Amor, no balanço financeiro e de benefícios, é um mal que se faz necessário – igual ao dar maionese e ketchup nas lanchonetes.

 

Mais em: http://rafaelarielrodrigo.blogspot.com.br/

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com