quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Blogs

A fofoqueira da Getúlio

Manhã de fim de verão e estava eu lá, caminhando pela avenida Getúlio Vargas, despreocupado com a vida e com as idiossincrasias dos hipócritas e das poucas pessoas de bem que ainda restam na municipalidade quando ouvi um “psiiiiu”. Ignorei completamente, mesmo sabendo quem poderia ser. Mas a insistente fofoqueira e baluarte da difamação e corrupção na cidade insistiu, chamando-me pelo nome. Tive que voltar para dar atenção àquela vulgar e pretensiosa criatura.

No exato cruzamento entre a Salu Branco e a Getúlio Vargas, estava eu sendo alugado pela fofoqueira, tendo de ser simpático, como bem manda minha boa educação.

Em Palmeira dos Índios é assim – as pessoas fingem que estão esperando a lotação para falar da vida alheia, promover a perseguição e cultivar hábitos vulgares com uma normalidade assustadora. E quem diz que ela é tão vulgarmente baixa é sempre criticado por ir de encontro a uma imagem “boa”. É o privilégio das velhas sem filhos e doidas – são sempre boazinhas. Sempre.

Compartilhe:

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com