quarta-feira, 20 de novembro de 2019

Notícias

In:

AL aposta em projetos que unem geração de riquezas e melhoria da qualidade de vida

Por Assessoria

Produtoras da Cooperal, que serão uma das beneficiadas com o programa Alagoas Maior, associam a conquista como uma oportunidade de evitar a situação de vulnerabilidade

Para fortalecer a inclusão produtiva, Alagoas investe em ações focadas no desenvolvimento regional. Em diálogo ao compromisso, estabelecido pelo Banco Mundial, de erradicar a extrema pobreza até 2030, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur), tem apostado em projetos que unem a geração de riquezas e melhorem a qualidade de vida da população, valorizando, assim, a atividade produtiva de cada região.

É por meio destes projetos de desenvolvimento econômico e social, que Alagoas segue melhorando seus indicadores. De acordo com o último Ranking de Competitividade, por exemplo, de 2016 para 2019, a desigualdade de renda saiu do 15º lugar para o 5º, caindo dez posições na avaliação. Como resultado destas iniciativas, programas estaduais como o Alagoas Feita à Mão e o Alagoas Maior, que agregam valor social ao seu trabalho, ganharam um importante aliado no financiamento da sua execução: o Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza (Fecoep).

Em ampliação às ações do Programa de Arranjos Produtivos Locais (PAPL) – que operou por mais de 10 anos no Estado – o Alagoas Maior foi lançado com recursos de mais de R$ 2 milhões oriundos do Fecoep. Com objetivo de aprimorar as atividades produtivas de Alagoas, o projeto, inicialmente, vai alavancar economicamente os três territórios que apresentem organizações coletivas estruturadas – Sertão, Agreste e Serrana dos Quilombos.

“Acelerar o desenvolvimento econômico e reduzir a desigualdade é um objetivo do Governo de Alagoas, sobretudo, alinhado e executado por meio de programas que contam com o apoio do Fecoep. A partir dele, os projetos são orientados por gestores responsáveis, que monitoram e avaliam as etapas e a prestação de contas da utilização dos recursos”, destaca Olívia Tenório, secretária executiva de Desenvolvimento Econômico e Turismo.

Entre os mais de 40 mil empreendedores, organizações, cooperativas e associações que serão beneficiados pelo Alagoas Maior, a diretora financeira da Coopeapis – Cooperativa dos Produtores de Mel, Insumos e Produtos da Agricultura Familiar -, Cicera Alves, já prevê as melhorias no dia a dia das produtoras com a retomada do programa em Piranhas. Isso porque, o plano de ação propõe a entrega de uma cozinha industrial, que irá refinar a atividade de confecção de bolos, biscoitos, xarope de própolis vermelha, própolis comum e outros produtos.

“Temos muito orgulho de ser uma cooperativa formada só por mulheres e agora conseguiremos um apoio mais direcionado às nossas produções locais, ajudando as famílias de baixa renda. Isso garante condições melhores de sustento dentro da própria região. Quando você conquista condições de comercializar seus produtos, evita a situação de vulnerabilidade”, afirma Cicera Alves da Silva, diretora financeira da Coopeapis.

MAIS APOIO

Ao lado do Alagoas Maior, o programa Alagoas Feita à Mão também passou a contar recentemente com apoio do Fecoep. A ideia tem sido agregar novos mercados às produções artesanais alagoanas, e, para isso, o Fundo destinou R$1,5 milhão para assegurar o fortalecimento da atividade e a projeção dos profissionais no mercado nacional e internacional, como ocorreu na Semana de Design, que, pela primeira vez, os artesãos puderam ter contato com campos de atuação e profissionais que não fazem parte do seu cotidiano.

Atualmente, o artesanato representa a principal fonte de renda de 85% dos artesãos registrados, neste cenário, de mais de 15 mil pessoas cadastradas, onde 67% possuem renda mensal de um a três salários mínimos. Em sua totalidade, a diversidade de tipologias do artesanato alagoano está reunida no programa, que prevê mapear e promover o segmento, contribuindo com a geração de renda e a qualidade de vida dos artesãos, reconhecidos por meio do Alagoas Feita à Mão.

“A Sedetur trabalha efetivamente na estruturação, abertura de mercado e rodada de negócios, além de aproximar o comprador do vendedor. Essas ações, promovidas por programas como o Alagoas Maior e o Alagoas Feita à Mão, estimulam a geração de oportunidades de trabalho e promovem a qualidade de vida, a autoestima e a dignidade dos trabalhadores contemplados. Ter o apoio de órgãos como o Fecoep é fundamental para estabelecermos um cenário de crescimento econômico que esteja indissociável do desenvolvimento social”, enfatiza a superintendente de Desenvolvimento Regional e Setorial da Sedetur, Giselle Mascarenhas.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com