sexta-feira, 15 de novembro de 2019

Notícias

In:

Deputados cobram ações efetivas do Governo Federal no derramamento de óleo na costa nordestina

Por Assessoria

Durante a audiência pública para discutir o caso das manchas de óleo nas praias nordestinas, realizada nesta segunda-feira, 21, os deputados Inácio Loiola (PDT), Francisco Tenório (PMN), Dudu Ronalsa (PSDB), Davi Davino Filho (PP), Marcelo Beltrão (MDB) e as deputadas Flávia Cavalcante (PRTB), Jó Pereira (MDB), Fátima Canuto (PRTB) e Ângela Garrote (PP) cobraram uma maior envolvimento do Governo Federal para solucionar o problema que preocupa todos os nordestinos. Apenas os deputados Silvio Camelo (PV) e Cabo Bebeto (PSL) defenderam  o presidente da República, Jair Bolsonaro, sob o argumento de que Executivo Nacional tem atuando de forma sistemática através dos órgãos federais, como Ibama e Marinha.

O primeiro a se posicionar foi o deputado Inácio Loiola. Ele observou que apesar de toda tecnologia disponível ainda não se chegou a causa do derramamento de óleo, que atingiu toda a costa nordestina. Segundo ele, as causas ambientais ainda estão sendo tratadas em terceiro plano. “Isso (derrame de óleo) está prejudicando uma das principais atividades econômicas do Nordeste, o turismo, afetando a pesca como todo mundo sabe e, até o presente momento, não se sabe de nada. Só especulação”, observou. “Isso que estamos vivenciando é no litoral, no mar. É competência do Governo Federal. Temos que alertar, mostrar que a responsabilidade é do Governo Federal. Isso é competência dele, que está no Japão, não dando o mínimo valor ao maior crime ambiental do litoral do Nordeste”, declarou Loiola, ressaltando que o Parlamento alagoano, liderado pelo presidente do Legislativo Marcelo Victor, está imbuído em solucionar o mais rápido possível esse problema.

A deputada Fátima Canuto também se posicionou. Ela contou que hoje pela manhã esteve visitando o município de Japaratinga, onde foi prestar apoio ao prefeito da cidade. Canuto disse que apesar de tudo, de toda dificuldade econômica, o prefeito, com a ajuda do Grupo Técnico de Acompanhamento (GTA) das manchas, está trabalhando de forma incansável para limpar as praias do município. “É pouco, em virtude do tamanho do desastre ecológico na região. Eu sei que a maior quantidade de óleo já foi retirada, soube que pelo menos 302 toneladas do produto já saíram das praias de Japaratinga”, contou a parlamentar, observando que os manguesais do municípios estão sendo atingidos pelo petróleo. “Duzentos ou trezentos mil reais para um município como Japaratinga pesa muito. Então precisamos pensar nisso, porque responsabilidade social não é apenas do Governo do Estado, mas do Governo Federal também”, completou Fátima Canuto.

Para o deputado Francisco Tenório, o Governo Federal não estaria dando a devida atenção que o caso requer e não teria se dado conta do tamanho do desastre que os estados nordestinos estão vivenciando. “De onde ele estiver, pode dar atenção, assim como o fez no caso das queimadas da Região Norte. Será porque é o Nordeste de nove governadores que não o apoiam na sua ação política? Será que é por isso que está dizendo assim: deixem que esses paraíbas se virem?”, questionou Tenório, dizendo que é preciso alertar ao Governo Federal para que veja que o Nordeste também é Brasil. Francisco Tenório cobrou ainda uma resposta da Marinha do Brasil, que até o momento não descobriu de onde e como surgiu esse derramamento de óleo.

Já o deputado Dudu Ronalsa informou que amanhã apresentará um requerimento, solicitando à Federação dos Pescadores de Alagoas que lhe encaminhe a relação dos pescadores que estão sendo prejudicados por causa do desastre ambiental. “Que faça um levantamento, junto às colônias, de quantos pescadores foram atingidos”, disse.

A deputada Flávia Cavalcante, por outro lado, demonstrou preocupação com a saúde das pessoas que estão trabalhando de forma voluntária na limpeza das praias. Isto porque elas estão trabalhando sem equipamentos de proteção devidos. “A minha preocupação é com o impacto que esse produto possa causar à saúde dessas pessoas que estão ajudando nessa limpeza”, disse. “Eles estão nesse voluntariado e já vimos o que esse óleo pode causar ao ecosssistema”, completou a parlamentar.

O deputado Davi Davino Filho disse ter ficado feliz com a união de todos em prol da limpeza das praias. Ele disse ser de opinião contrária ao decreto de situação de emergência, pois de acordo com relatório do Instituto do Meio Ambiente, das 23 praias contaminadas com o petróleo, apenas três estão sendo consideradas impróprias para o banho. “Uma sugestão é que os municípios atingidos com as manchas de óleo decretem situação de emergência, assim como fez Coruripe”, orientou.

De acordo com a deputada Jó Pereira, é notório o esforço que o Ibama e a Marinha do Brasil estão empreendendo para equacionar a situação, mas é de opinião que é preciso avançar. “E esse avanço está acima da vontade dos servidores públicos federais envolvidos no processo”, disse. “É o esforço político de mostrar a importância de salvar o litoral nordestino. Esse é o clamor desta Casa”, completou.

Na mesma linha, o deputado Marcelo Beltrão disse que não consegue imaginar o porque da origem desse óleo ainda não ter sido identificada. “É importante que se faça um esforço ainda maior. Percebemos que há necessidade de mais envolvimento do Governo Federal”, declarou Beltrão.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com