terça-feira, 17 de setembro de 2019

Notícias

In:

Parceiro de Isaquias sofre mal súbito na canoagem e dupla fica sem medalha no Pan

A expectativa era grande para uma medalha de ouro da dupla Isaquias Queiroz e Erlon de Souza na canoagem velocidade nos Jogos Pan-Americanos de Lima, mas o que era um sonho acabou virando pesadelo. Na prova de C2 1.000 metros, pouco antes da metade da prova, Erlon acabou tendo um mal súbito e o barco parou.

Era possível ouvir da margem do canal os gritos de Isaquias pedindo ajuda. Foram alguns segundos de pânico até uma lancha vir resgatar o brasileiro. “Eles estavam do nosso lado, aí falaram alguma coisa, mas não sei o que foi porque não entendo português muito bem. Só sei que o barco deles ficou para trás”, explicou o cubano Sergey Torres, que ficou com o ouro ao lado de Fernando Jorge.

“O Erlon teve um quadro de gripe na semana passada. Aparentemente ele se recuperou. O barco estava andando bem, só que nos 450m ele passou mal e relatou para o Isaquias. Aí precisou parar. Vamos averiguar o que aconteceu e avaliar com calma o que precisará ser feito”, explicou Alvaro Koslowski, chefe de equipe da canoagem velocidade.

Erlon foi socorrido por uma lancha de apoio, que o levou até o deck. Ele ficou recebendo atendimento por alguns minutos e acabou sendo retirado de maca, depois colocado numa cadeira de rodas e seguiu para a enfermaria. Mais tarde, recuperado, deixou a instalação esportiva caminhando, mas deve passar por exames neste domingo.

“Agora ele tem de passar pela comissão médica do COB, para ser avaliado e quem sabe encaminhado para fazer exames. Ele foi liberado pelo médico e agora a ideia é levá-lo para Lima. Ele saiu caminhando e conversando com a gente”, contou Alvaro. A sede da canoagem é em Huacho, que fica a 180 quilômetros da capital peruana.

“A pior coisa para um atleta, ainda mais um que é vice-campeão olímpico e campeão mundial, é não completar a prova. Deve ser o pior momento dele. Agora é hora de ajudar e dar carinho, para que ele se sinta bem. Ele já nos deu muitas alegrias, mas agora aconteceu essa eventualidade”, disse Alvaro.

A participação de Erlon chegou ao fim no Pan, pois ele só competiria no C2. Mas Isaquias ainda vai disputar a prova do C1 1.000m. Neste sábado, ele ganhou a sua bateria e avançou diretamente para a final da prova, na qual é o atual campeão com o ouro conquistado no Pan de Toronto.

Naquela edição em 2015, ele também venceu o C1 200m, mas esta prova não está no programa de Lima. A final do C1 1.000m será na segunda-feira. “Eu acredito que isso não vai afetar a prova de C1 1.000m do Isaquias, ele vai estar firme. Ele tem essa pegada e vai brigar por um pódio”, concluiu o dirigente.

Autor: Paulo Favero
Copyright © 2019 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com