segunda-feira, 23 de setembro de 2019

Notícias

In:

INCA estima que 43 mil pessoas poderão ser diagnosticadas com câncer de cabeça e pescoço

Por Assessoria
No próximo dia 27 de julho comemora-se o dia Mundial de Conscientização do Câncer de Cabeça e Pescoço. Segundo estimativa do Instituto Nacional do Câncer (INCA) esta doença deve atingir cerca de 43 mil pessoas no Brasil, entre os anos de 2018 e 2019.
Com o objetivo de aumentar o conhecimento e promover educação e treinamento no diagnóstico, tratamento, resultados e pesquisa sobre o câncer de cabeça e pescoço, a Organização Mundial da Saúde e da União Internacional para o Controle do Câncer criou a campanha do Julho Verde.
São definidos como câncer de cabeça e pescoço o grupo de tumores diagnosticados na boca, língua, faringe, laringe, esôfago, orofaringe (garganta), nasofaringe e tireoide. Segundo as estimativas do INCA, o câncer de cabeça e pescoço é hoje o segundo mais frequente entre os homens no Brasil, atrás somente do câncer de próstata.
A cirurgiã de cabeça e pescoço, Ana Carolina Pastl pontua como os principais fatores responsáveis pelo desenvolvimento da doença o tabagismo, consumo excessivo de bebidas alcoólicas e o crescente número de casos de HPV (papilomavírus humano), vírus transmitido principalmente pelas relações sexuais que atinge a pele e as mucosas.
 “A relação entre o HPV e o câncer de cabeça e pescoço vem se tornando cada vez mais comum, sendo observada em 10% a 30% dos casos, por isso, a vacinação contra o HPV é fundamental”, afirma a médica.
Os sintomas do câncer de cabeça e pescoço podem variar de acordo com a localização do tumor. Na região da cabeça, boca e face as lesões podem apresentar sangramento, manchas brancas na boca, dor no local, sangramentos pelo nariz, dores de cabeça frequentes, dormência nos músculos da face, entre outros sintomas. Já os tipos encontrados no pescoço podem causar rouquidão, nódulos na região, mudança na voz e dificuldade para engolir.
“Em alguns casos, estes tumores podem evoluir para o cérebro e nestes casos pode existir a indicação cirúrgica. Mas, quando diagnosticado logo no início, as chances de cura podem chegar a 80%,”, revelou. O tratamento, dependendo da localização, características e extensão do tumor, pode incluir cirurgia, radioterapia ou quimioterapia, realizadas isoladamente ou em combinação. Após a identificação do câncer, é feita uma avaliação para verificar se o tumor é operável ou não, e então planejar o tratamento, que é multidisciplinar.
Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com