segunda-feira, 17 de junho de 2019

Notícias

In:

Estudantes, servidores e militantes de diversos movimentos sociais participaram do ato a favor da educação

Por Assessoria

No último dia 15 de maio, estudantes, servidores e militantes de diversos movimentos sociais foram as ruas de todo o Brasil protestar contra o congelamento de verba para Universidades e Institutos Federais.

Há algumas semanas o Ministério da educação anunciou o congelamento de verbas destinadas a custeio de água, luz, serviços terceirizados, equipação de laboratório, realizações de pesquisas e assistência estudantil. No entanto, as UF’s e IF’s acreditam que as instituições não conseguirão concluir o ano letivo com a verba que está sendo liberada.

Após essa divulgação, foi dado início a uma mobilização geral denominada de #NaRuaPelaEducaçao, criado por estudantes, servidores, através de redes sociais. Ao longo dos dias o ato ganhou ainda mais força com a aliação de militantes de diversos movimentos sociais que, além de defender as instituições federais, também eram contra a reforma da previdência social. O resultado dessa união foi perceptível nas ruas de todo país, onde milhares de pessoas saíram em passeatas por suas cidades defendendo suas convicções.

Aqui em Alagoas os campi dos Institutos e Universidades Federais também estão dentro da estatísticas de instituições que podem fechar as portas logo mais. Preocupados com isso, milhares estudantes estavam presentes na passeata que teve sua concentração no Centro de Ensino e Pesquisa Aplicada – Cepa e seguiu até as ruas do centro de nossa capital.

Apesar de participarem do ato com um objetivo em comum, os pontos de vista das pessoas que estavam presente eram diversos. Veja abaixo alguns depoimentos de estudantes do Ifal e da Ufal.

” Estamos nas ruas lutando por um direito que é nosso. Estamos indo estudar com medo de que no outro dia a Universidade esteja fechada. A Universidade é um espaço de educação, de Pesquisa e de formação. Por isso, estaremos sempre lutando por ela.” Samara, estudante de Medicina da Ufal.

“Eu sempre pensei em estudar no Ifal e na Ufal, era um sonho fazer o ensino médio e cursar a faculdade em uma Federal e hoje esse sonho está ameaçado. Sinto que a única coisa que posso fazer é lutar”, disse Henrique, estudante do Ifal de satuba.

Diversos movimentos sociais estavam presente, como a União Nacional dos estudantes- UNE, Movimento dos Trabalhadores sem Teto – MTST, que em seu história tem várias lutas por moradia, Juventude Sem Medo, que é um grupo opositor à UNE, Afronte, movimento criado dentro da Ufal, e entre outros. A frente do Afronte, a estudante Anne, de Serviço Social da Ufal e integrante do movimento social afronte, ressalta que:

“Acho importante que tenha esses atos, principalmente junto com todas as categorias ali presentes, como uma resposta do povo que não suporta mais essa situação de desmonte de nossas políticas. Mas além disso ganhar as ruas  têm forte apelo, ter esse contato com as pessoas de fora da Universidade para mostrar a elas o que fazemos e nosso posicionamento sobre o momento que estamos vivendo. As mobilizações têm suas importâncias historicamente, servindo também como forma de pressionar o governo.”

O Doutor em direito pela Universidade Estadual de São Paulo, Basile Christopoulos, saiu às ruas de Maceió juntamente com estudantes, servidores e militantes de diversos movimentos sociais, para realizar o ato em favor da educação brasileira e contra a reforma da previdência. Basile está sempre engajado em causas e movimentos sociais, a favor da população.

O professor Basile enfatiza que “Todos unidos, diversos partidos, sindicatos, estudantes e trabalhadores do campo e da cidade, são fundamentais para a democracia brasileira. Então vamos juntos pela democracia, defendendo a educação e contra os cortes do governo.”, disse ele durante seu discurso no ato.

No meio da Universidade

Nessa quinta-feira (16/05), centenas de estudantes se reuniram na Praça da Paz, na Universidade Federal de Alagoas, para um encontro inspirador e essencial sobre o papel dos estudantes universitários para toda a Sociedade.

Personalidades como: Basile Christopoulos, Cícero Albuquerque, Guilherme Boulos, Lu Araújo e Paulão compuseram a mesa. Além destes, a líder do movimento MTST Eliane, e agrupações estudantis fecharam essa composição.

No encontro, foi ressaltada a importância das pesquisas realizadas pelas Universidades em prol da sociedade, tendo em vista que estas são revertidas em benefícios para a comunidade. O ato foi finalizado fortalecendo a idéia de que os jovens estudantes são o futuro da política e da democracia brasileira.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com