quarta-feira, 24 de julho de 2019

Notícias

In:

Ex-companheira é indiciada por divulgar nude de prefeito de Palmeira

Por Redação

Uma ex-companheira (namorada) do prefeito de Palmeira dos Índios, Júlio Cezar da Silva, foi indiciada pela Polícia Civil de Alagoas por crime de vingança pornográfica, previsto no artigo 218-C do Código Penal, após divulgar em grupos do whatsapp uma foto como sendo do gestor palmeirense nu em frente a um espelho.

Julio Cezar prestou queixa no DEIC em 1º de dezembro

Segundo o DEIC, Júlio Cézar compareceu à delegacia no dia 01 de dezembro do ano passado para denunciar o crime. Após a investigação realizada pela Seção de Crimes Cibernéticos, a ex-namorada foi indiciada, e agora responderá o ato na justiça.

As provas do inquérito policial revela que a ex-namorada teria sido a responsável por difundir a imagem, e assim a foto alcançou grande compartilhamento, causando um “severo constrangimento”.

Julio Cezar afirmou que não é ele na foto. “Uma montagem esdrúxula”, afirmou em vídeo publicado nas redes sociais em dezembro e que você vê abaixo.

O delegado Thiago Prado  informou que “esse tipo de delito vem ocorrendo com bastante frequência nos últimos meses, e alerta que o autor pode ser identificado através do trabalho realizado pela Polícia Civil”.

À tarde, em entrevista ao programa Fique Alerta da TV Pajuçara, o delegado Thiago Prado, divulgou que a ex-companheira se chama Simonica Alves Silva. A redação da Tribuna do Sertão não conseguiu o contato da acusada para ouvi-la sobre o indiciamento, ficando aberto o espaço para dar sua versão.

A punição para este tipo de crime prevê uma pena de até 5 anos de prisão.

 

Relembre o caso

Palmeira dos Índios amanheceu no dia 1º de dezembro com um escândalo que ganhou proporção em todo o Estado. Uma fotografia em que o prefeito de Palmeira dos Índios Julio Cezar aparece nu, posando com um celular.

A foto que chocava todos aquele que a via, foi distribuída pela rede social whatsaap e “viralizou” em todo o município e região.

Além da foto, os internautas passaram a reproduzir os chamados “memes” em larga escala pelas redes sociais.

A situação ganhou maiores proporções quando o chefe do Executivo palmeirense gravou um vídeo negando ser uma “montagem esdrúxula” a fotografia e que tinha acionado a Polícia Civil (DEIC) para identificar o responsável.

Fui acordado hoje de manhã com amigos me chamando pelo Zap. Eles trariam a triste notícia de que estou sendo vítima de crime cibernético por alguém que não gosta de mim. Fizeram uma montagem esdrúxula de uma foto com um senhor nu e inseriram a minha cabeça“, disse.

No fim da fala o prefeito Julio Cezar (PSB) tentou a atribuir à oposição o crime perpetrado contra ele, sem identificar quem. “Eu sempre digo: fazer oposição é importante, mas é preciso ter responsabilidade“, comentou Julio Cezar.

Contudo nas próprias redes sociais alguns internautas suspeitaram de que o crime pode ter sido motivado por razões passionais.

Comenta-se que o prefeito estaria envolvido em relações extraconjugais – episódio inclusive publicado em jornais da capital – o que pode ensejar outra linha de investigação para a Polícia Civil que foi acionada pela própria vítima.

A Tribuna do Sertão desde o primeiro momento apontou para esta linha de investigação baseado em depoimentos de palmeirenses nas rede sociais.

Veja o vídeo do prefeito justificando a fotografia viralizada na internet

 

Atualizada às 18:25h

Compartilhe:
Tags: ,,,,,,,

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com