quinta-feira, 23 de Maio de 2019

Notícias

In:

Deputado Inácio denuncia especulação imobiliária no Pinheiro e pede entrada da PF no caso

Por Assessoria

Deputado Inácio Laiola

“Convocar a Polícia Federal para acompanhar os diagnósticos técnicos feitos pelas consultorias internacionais contratadas pela Braskem sobre as inspeções nos poços de exploração do sal-gema e os relatórios emitidos pelos técnicos do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), pela Defesa Civil Municipal e Estadual e, sobretudo, investigar a suspeita de especulação imobiliária no bairro do Pinheiro aproveitando a fragilidade emocional dos moradores para que se chegue à conclusão de um relatório técnico e imparcial”, defendeu o deputado estadual Inácio Loiola (PDT), em audiência pública sobre “as causas das fissuras no Pinheiro” promovida pela Assembleia Legislativa do Estado, nesta sexta-feira.

Segundo Inácio Loiola, a comunidade do Pinheiro não pode ficar a mercê do tempo à espera de laudos conclusivos sobre a análise do subsolo do bairro, enquanto a situação se agrava e cada vez mais pessoas sofrem pressão psicológica.

É necessária a união do poder público federal, estadual e municipal, sugere o deputado estadual, para acelerar as decisões sobre as soluções para atender as necessidades da comunidade.

“Já se passou muito tempo, e nada. A gente precisa saber e ter um diagnóstico preciso. Deixo aqui a minha opinião que, além do Ministério Público Estadual e Federal, da Defesa Civil, dos órgãos competentes, do Poder Judiciário, eu vejo uma especulação imobiliária muito grande, ninguém sabe o que é o mundo capitalista, e do que é capaz. Por conta disto, gostaria de pedir de forma legal que a Polícia Federal venha acompanhar esse problema no bairro do Pinheiro”, enfatizou o deputado Inácio Loiola.

O deputado estadual Sílvio Camêlo (PV) diz que há mais de ano que os poderes constituídos se reúnem e debatem, mas não avançam na identificação da causa das fissuras e rachaduras que atingem os imóveis e alastram-se. “Há moradores na Rotary próximo ao Quartel relatando que já estão surgindo problemas na região”. Ele também diz ser preciso convocar técnicos e especialistas isentos para ajudar na investigação do problema.

Loiola ainda tornou a repetir: “O problema é gravíssimo. No meu entendimento, é o maior problema de Alagoas e estou sentindo exatamente os órgãos, a classe política, com exceção aqui da Assembleia Legislativa, quase um ano omissa para debelar esse grande problema”.

Além do transtorno social e moral, o comércio do bairro está morrendo lentamente causando sérios prejuízos financeiros aos comerciantes.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com