domingo, 18 de novembro de 2018

Notícias

In:

UFRJ rebate governo e afirma que orçamento encolheu 10,6% entre 2014 e 2018

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) rebateu nesta terça-feira, 4, os dados divulgados pelo governo federal de que houve incremento de 48,9% nos repasses à instituição entre 2012 e 2017. Segundo a reitoria, a informação é “falaciosa” e “extremamente absurda”. E informou que o orçamento da universidade encolheu 10,6% entre 2014 e este ano: saiu de R$ 434 milhões para R$ 388 milhões.

No mesmo período, os recursos destinados pela instituição ao Museu Nacional caíram 35%, de R$ 531 mil para R$ 346 mil, conforme dados passados pelo museu. A instituição pegou fogo domingo e 90% de seu acervo foi queimado.

A universidade rebate informações concedidas pelos ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, da Educação, Rossieli Silva, e da Cultura, Sérgio Sá Leitão, nesta terça-feira. Eles sublinharam a responsabilidade da UFRJ pela administração do Museu Nacional, já que a instituição lhe é vinculada, e refutaram as críticas diretas feitas pelo reitor, Roberto Leher, e o diretor do museu, Alex Kellner, na segunda-feira. Padilha afirmou que entre 2012 e 2017 a dotação orçamentária para a UFRJ subiu 48,9% e que, nesse mesmo período, os repasses da UFRJ para o museu se reduziram em 43,1%.

Procurada pela reportagem, a UFRJ divulgou nota: “A Universidade sofreu significativa redução orçamentária nos últimos quatro anos. É falaciosa e extremamente absurda qualquer versão que insinue aumento de recursos, quando são visíveis os cortes na ciência e na educação, denunciados pela comunidade científica. O orçamento da UFRJ desde 2014 foi distribuído da seguinte forma: 2014, R$ 434 milhões; 2015, R$ 457 milhões; 2016, R$ 461 milhões; 2017, R$ 421 milhões; 2018, R$ 388 milhões”. Até o fim deste ano, a estimativa é de um déficit de R$ 160 milhões.

Os valores divulgados pela reitoria se referem a despesas com custeio (manutenção geral, obras de infraestrutura) e investimentos (compra de equipamentos, construção de novos prédios), de acordo com a UFRJ. “A folha de pagamento da UFRJ inclui servidores ativos e até servidores aposentados e inativos de outras décadas. Esta folha, que ultrapassa R$ 1 bilhão, é gerida diretamente pelo Tesouro Nacional e não há sentido em incluí-la nas avaliações sobre gestão anual do dia a dia da UFRJ, por parte da sua administração central.”

A nota diz ainda que “A UFRJ alicerça sua preocupação com a difusão de informações imprecisas e incorretas sobre a questão orçamentária da universidade, que estão retirando do foco central o Museu Nacional, a perda de acervo e o significado disso para a nação brasileira.”

O museu divulgou que os repasses foram de R$ 531 mil em 2013; R$ 427 mil em 2014; R$ 257 mil em 2015; R$ 415 mil em 2016; R$ 346 mil. De janeiro a abril deste ano, foram liberados apenas R$ 54 mil.

Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com