sábado, 22 de setembro de 2018

Notícias

In:

Fluminense vence o Botafogo no Maracanã e respira no Brasileirão

No Clássico Vovô, o mais antigo do Brasil e disputado desde 1905, o Fluminense levou a melhor ao vencer o Botafogo por 1 a 0, neste domingo, no Maracanã, pela 24.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Na parte final do jogo, o Botafogo perdeu um pênalti cobrado por Rodrigo Lindoso e defendido por Rodolfo. No histórico de 355 confrontos, agora o Fluminense contabiliza 128 vitórias, contra 120 do rival e 106 empates.

Com o resultado, o Fluminense quebrou uma série de três jogos sem vitória, chegando aos 31 pontos e ganhando fôlego na sua luta para se afastar da incômoda zona do rebaixamento. Mais próximo a ela está o Botafogo, agora em jejum de três jogos, e com apenas 26 pontos.

Os últimos dias foram de notícias ruins para os dois rivais, em crise financeira. O Fluminense tem dois meses de salários em carteira atrasados e três sem pagamento do acordo de imagem, cujos valores são maiores. O Botafogo conseguiu quitar os débitos de julho, faltando, portanto, os de agosto.

Os dois times foram escalados de forma parecida, com três volantes, até por falta de opções. No Fluminense, duas baixas importante: Pedro, artilheiro do time com dez gols no Brasileirão, e com lesão no joelho direito, e o meia Sornoza, que está na seleção do Equador. No Botafogo, ausências do zagueiro Carli e dos meio-campistas Jean, João Paulo e Renatinho. Entre os titulares, seis jogadores formados na base e mais cinco no banco de reservas.

O Fluminense começou apostando na velocidade e abriu o placar logo aos dez minutos. Após escanteio, a defesa não aliviou e a bola sobrou para uma tentativa de bicicleta de Everaldo. Ela não saiu certa, mas foi um passe perfeito para o zagueiro Digão, na pequena área, que deu de bico para as redes.

O Botafogo aos poucos conseguiu ter maior volume de jogo e criou chances reais para empatar. Duas delas com Kieza. Na primeira, ele chutou prensado em cima de Digão. Já na segunda, aos 42 minutos, cabeceou sozinho na pequena área, mas o goleiro Júlio César fez a defesa. O atacante não balança as redes há três meses. Teve ainda um chute de longe de Rodrigo Lindoso e que Júlio César espalmou.

No intervalo, Júlio César reclamou de fortes dores no quadril e acabou substituído por Rodolfo. O técnico Zé Ricardo teve que abrir o Botafogo, tirando o volante Matheus Fernandes para a entrada do atacante Rodrigo Pimpão. Depois, abriu mão de Luiz Fernando para a entrada de Brenner e ainda ganhou força na direita com Luis Ricardo no lugar de Marcinho.

Apesar de todas as alterações, o Botafogo não melhorou e o jogo ficou morno. Tanto que ninguém teve chance de gol. Só mesmo um lance inesperado poderia mudar o placar. E isso quase aconteceu aos 39 minutos, quando Erik cruzou e a bola tocou no braço de Ayrton Lucas. Pênalti bem marcado. Rodrigo Lindoso cobrou, mas Rodolfo caiu do lado esquerdo e espalmou. O rebote ainda sobrou para Erik que chutou por cima do travessão, confirmando a má fase dos atacantes botafoguenses.

Depois do momento angustiante, o Fluminense entendeu que o melhor era segurar o resultado nos últimos minutos. Foi o que aconteceu, diante de um Botafogo fragilizado e sem força ofensiva. E o Fluminense ainda perdeu uma grande oportunidade em um contra-ataque de dois contra um, quando Jadson demorou para finalizar e foi bloqueado por Rodrigo Lindoso.

Os dois rivais vão ter a semana toda para se preparar visando a 25.ª rodada, porque só vão jogar no próximo domingo. O Fluminense vai até Curitiba enfrentar o Atlético-PR, às 16 horas, enquanto o Botafogo receberá o América-MG, às 19 horas, no Engenhão.

FICHA TÉCNICA
FLUMINENSE 1 X 0 BOTAFOGO

FLUMINENSE – Júlio César (Rodolfo); Léo, Gum, Digão e Ayrton Lucas; Richard, Jadson, Dodi e Luciano (Marcos Junior); Everaldo (Matheus Alessandro) e Kayke. Técnico: Marcelo Oliveira.

BOTAFOGO – Saulo; Marcinho (Luis Ricardo), Igor Rabello, Marcelo Benevenuto e Moisés; Rodrigo Lindoso, Matheus Fernandes (Rodrigo Pimpão), Gustavo Bochecha e Luiz Fernando (Brenner); Erik e Kieza. Técnico: Zé Ricardo.

GOL – Digão, aos dez minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO – Leandro Pedro Vuaden (RS).

CARTÕES AMARELOS – Luciano, Ayrton Lucas e Digão (Fluminense). Marcelo Benevenuto, Marcinho e Moisés (Botafogo).

RENDA – R$ 231.090,00.

PÚBLICO – 10.031 pagantes (10.969 total).

LOCAL – Maracanã, no Rio (RJ).

Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com