terça-feira, 20 de novembro de 2018

Notícias

In:

Ronnie Von retorna à música com lançamento do 1º DVD da sua carreira

Ronnie Von chega esbaforido à sala da sua casa na região do Morumbi, na zona sul de São Paulo. “Vim correndo. Peço desculpas. Não era às 14h?”, pergunta. Não, Ronnie não estava atrasado, como bom lorde inglês no ápice de sua pontualidade e gentileza britânica. Trajando uma camisa azul cuidadosamente bem passada, Ronnie senta-se na poltrona pomposa e vai logo pedindo um café. “Sem açúcar, por favor”, diz à mulher, Maria Cristina, a Kika. “Cada dia que passa eu a amo mais”, comenta. Aos 73 anos, Ronnie parece um adolescente apaixonado pela primeira namorada. A pureza de seus olhos verdes tão expressivos contextualizam tal sentimento. “Eu adoro essa gordinha”, brinca.

No ar há quase 15 anos com o bem-sucedido programa Todo Seu, na TV Gazeta, já são mais de duas décadas longe dos palcos e dos estúdios. Sua última apresentação foi no longínquo ano de 1997. “Não lembro em qual cidade.” Em 2018, entretanto, Ronnie decidiu voltar à ativa. O DVD One Night Only, o primeiro de sua extensa e relevante carreira musical, chega às lojas neste mês de abril. No repertório, músicas como You Dont Know Me (Ray Charles), Night and Day (Frank Sinatra) e Girl (Beatles). Todas canções que inspiraram Ronnie de alguma forma. “Nós estávamos na casa de um amigo assistindo a um DVD do Paul McCartney. Era um show bem intimista, com Diana Krall no piano e John Pizzarelli na guitarra. Dani Silva, o produtor, perguntou se eu gostaria de fazer algo parecido. Eu topei. No outro dia, ele apareceu com uma banda e o setlist do show. Tudo pronto! São músicas sobre paixão. É um repertório que eu gostaria de ter gravado única e exclusivamente para a Kika, meu grande amor”, declara Ronnie.

Apesar do DVD fresquinho, Ronnie não cogita voltar para a estrada. Casado há 31 anos e pai de Leonardo, Alessandra e Ronaldo (os dois últimos, filhos do primeiro matrimônio com a jornalista Aretuza), o artista mal sai de casa. Ele prefere ficar em sua residência, cuidando do jardim ou lendo um dos livros de sua imensa coleção. Na maior parte das vezes, ele gosta de passar o tempo na extensa garagem vintage, onde cabem mais de vinte carros. “Não tenho mais vontade de voltar a fazer show. Já foram muitos anos nisso. O meu grande problema na música é a estrada. Detesto viagem. Fiz isso por 40 anos, indo de lá para cá todas as semanas. Eu não tenho mais saco. Essa experiência foi muito legal e gratificante, e me deixou emocionado e satisfeito comigo mesmo. Sou bombardeado diariamente com essa história de voltar a cantar.
Recebo, pelo menos, um convite por dia. Várias gravadoras já me procuraram”, complementa.

Carinhosamente apelidado de príncipe por Hebe Camargo, Ronnie Von faz duras críticas à indústria da música. Para ele, grande parte do que faz sucesso hoje em dia é totalmente discutível. “Eu jamais vou criticar a música. Graças a ela eu tive toda a minha realização pessoal e profissional. Mas a coisa que está por trás dela é, de fato, muito complicada. Até porque ela não é de verdade. É falsa. Talento é algo discutível. O que faz sucesso é discutível. Tudo é pago. Antigamente, quando eu comecei, sofri preconceito. Eu vinha de uma família rica. Eles diziam: olha lá o calcinha de veludo, o filhinho de papai. Vai ocupar o lugar de alguém que precisa. Hoje, o processo é inverso. Se antigamente você tinha de ser muito pobre para ter o reconhecimento de alguém deste mercado, hoje você precisa ter todo o dinheiro do mundo para decolar”, desabafa Ronnie.

O DVD conta com a participação das cantoras Alba Santos, Jô Abe Reis e Jamah, todas desconhecidas do grande público. “Eu não quis ninguém do mainstream. É preciso dar voz a gente de talento. Toda a renda obtida com a venda do DVD será revertida ao Graacc, dedicado ao tratamento de câncer, e à Associação Cruz Verde, de amparo a crianças com paralisia cerebral. “Eu sabia que, se um dia eu tivesse de voltar a cantar, seria para reverter a renda para a caridade. Não quero me sentir um produto, mas, sim, uma pessoa.”

Fase psicodélica. Os mais jovens que veem Ronnie cantando de maneira tão delicada e refinada não imaginam o quão transgressor ele foi para toda uma geração. No final da década de 1960, ele deixou o rótulo de príncipe de lado e lançou três importantes discos que revolucionaram a história da música brasileira: Ronnie Von (1968), A Misteriosa Luta do Reino de Parassempre Contra o Império de Nunca Mais (1969) e A Máquina Voadora (1970).

Os álbuns, todavia, foram verdadeiros fiascos na época. Relançados em vinil em 2013, mais de 40 anos depois, os trabalhos, hoje, são vistos como percussores da psicodelia no País. “Disseram que minha carreira tinha chegado ao fim”, lembra Ronnie. A ousadia do príncipe foi longe: anjos que andavam de bicicleta e até viagens em naves espaciais ilustravam suas composições. Os arranjos eram compostos por guitarras elétricas, uma musicalidade abusada para a época. “Paguei caro por ser atrevido, mas acho que faria tudo de novo”, gargalha Ronnie.

REPERTÓRIO DO DVD

– You Dont Know Me (Ray Charles)
– Night and Day (Frank Sinatra)
– Fly Me to the Moon (Frank Sinatra)
– The Way You Look Tonight (Frank Sinatra)
– It Had to Be You (Frank Sinatra)
– Girl (Beatles)
– I Remember You (Chet Baker)
– Night and Day (Ella Fitzgerald)
– Youve Got to Hide Your Love Away (The Beatles)
– In My Life (The Beatles)
– When I Fall in Love (Nat King Cole)
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Autor: João Paulo Carvalho
Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com