quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Notícias

In:

Perímetro irrigado do Bálsamo vira realidade e vai beneficiar Palmeira dos Índios

Por Assessoria

O prefeito Júlio Cezar recebeu nesta quarta-feira (14), em Palmeira dos Índios, o engenheiro civil e diretor da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e Irrigação (Cohidro) Wellington Coimbra Lou, que apresentou o projeto do primeiro perímetro irrigado da Barragem do Bálsamo, feito em parceria entre o município e o Governo do Estado. O engenheiro, que também é responsável pelo projeto executivo das obras do Canal do Sertão, destacou o trabalho que a empresa tem feito para trazer uma nova adutora para abastecer Palmeira dos Índios, a partir do Bálsamo, inclusive com uma Estação de Tratamento de Água. Assim, o município passará a ter água em quantidade e qualidade sem sofrer colapso pelos próximos 30 anos. O Bálsamo, que acumula, em média, 18 milhões de metros cúbicos de água, é o maior reservatório de água doce de Alagoas.

engenheiro, que também é responsável pelo projeto executivo das obras do Canal do Sertão, destacou o trabalho que a empresa tem feito para trazer uma nova adutora para abastecer Palmeira

Engenheiro, que também é responsável pelo projeto executivo das obras do Canal do Sertão, destacou o trabalho que a empresa tem feito para trazer uma nova adutora para abastecer Palmeira

Segundo Wellington Lou, Palmeira tem uma grande capacidade de produção agrícola e tudo para ser um grande município produtor de alimentos, a exemplo de Petrolina, no interior de Pernambuco. “Esse perímetro irrigado do Bálsamo vai gerar 500 Empregos diretos e indiretos, no polo de radiação de tecnologia e conhecimento, pois terá todo um treinamento para quem vai trabalhar e para quem vai produzir no local. O projeto hidroagrícola do Bálsamo tem a finalidade de abastecimento da Etapa 1, de 200 hectares, e no segundo de 500 hectares. Neste momento, estamos em construção do Lote 1, que são 37 hectares, e que está na fase de implantação do sistema hidráulico, limpeza de terreno e implantação das adutoras, com uma previsão de conclusão em até seis meses”, explicou.

Após esse momento, virá a etapa de treinamento de irrigantes e de pré-operação do sistema. Palmeira será beneficiada com a geração de emprego e renda e com a venda de produtos, quando uma parte será vendida no mercado local e outra em grandes centros como São Paulo, Rio de Janeiro e algumas indústrias de doces, a partir da utilização da goiaba e da banana produzidas nesse perímetro. “Palmeira tem um dos maiores reservatórios de água doce do estado e também uma condição de que a produção local não é mais uma promessa, pois a empresa vai implantar e entregar aproximadamente 750 tarefas de terras prontas para o plantio. Então, eu fiz questão que o Wellington viesse aqui porque ele é um homem à frente do seu tempo, seja pela obra do Canal do Sertão ou pelos projetos do Bid e do Bndes, que levam o nome dele. Agora, a hora é de pensar grande. É a hora de pensar no agronegócio”, finalizou o prefeito Júlio Cezar.

Secretários e técnicos das secretarias municipais de Agricultura, Assistência Social, Planejamento, Desenvolvimento Econômico e Turismo, de Meio ambiente e Recursos Hídricos e profissionais do setor de engenharia do Ifal participaram do encontro, que foi realizado no auditório da Agência Regional do Trabalho de Palmeira dos Índios.

Compartilhe:
Tags: ,,,

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com