terça-feira, 20 de novembro de 2018

Notícias

In:

Meirelles: viajo amanhã com Temer e vamos discutir qual será a melhor composição

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que definirá durante viagem que fará com o presidente Michel Temer à Vitória nesta quinta-feira, 29, qual será a melhor composição do MDB para concorrer à Presidência da República em outubro. Ele, que ontem anunciou pela sua conta no Twitter que decidira se filiar ao MDB, afirmou na tarde desta quarta-feira, 28, que todo o processo de filiação será feito na próxima terça-feira, 3 de abril.

Atualmente o ministro está filiado do PSD, partido presidido por Gilberto Kassab, atual ministro de Ciência e Tecnologia e virtual candidato a vice-governador de São Paulo na chapa do prefeito da capital paulista, João Doria (PSDB-SP). Meirelles participou nesta quarta-feira de almoço promovido pelo Grupo de Líderes Empresariais (Lide) Pernambuco, no Recife, capital do Estado.

Meirelles voltou a afirmar que não decidiu ainda se será mesmo candidato ou se permanecerá à frente da Fazenda até final do ano. Disse que vai continuar a analisar no fim de semana os dados que estão chegando para ele de uma pesquisa qualitativa encomendada por sua equipe. “Tem chegado dados interessantes. Queremos saber o que a população espera de um presidente da República”, disse o ministro.

Se não decidiu se será ou não candidato, fato é que o ministro parece estar adequando seu discurso para uma linguagem mais acessível ao entendimento das pessoas menos familiarizadas com números e com o “economês”. Hoje, em palestra que fez para os convidados do Lide, Meirelles repetiu uma apresentação que já tem feito há algum tempo, mas reduziu a quantidade de números que a peça contém. O ministro optou por uma palestra mais qualitativa.

Embora Meirelles tente o tempo todo desvincular sua presença aos eventos a uma eventual candidatura à Presidência da República, as conversas e as perguntas acabam por girar em torno da sua candidatura. Na sessão de perguntas e respostas do evento, Meirelles foi enxovalhado de perguntas sobre o que ele faria em relação a alguns temas como presidente da República.

Desde questões tributárias à questões relacionadas à Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf) após privatização da Eletrobrás, o ministro teve que responder sob a perspectiva do que faria como presidente da República. Meirelles recebeu manifestações de apoio à sua candidatura de vários líderes empresariais e do judiciário de Pernambuco durante o almoço.

Da sua parte Meirelles usou os 45 minutos que lhe foram concedidos para falar durante o almoço para destacar as mudanças pelas quais o Brasil e sua economia passaram desde que o presidente Temer assumiu a Presidência da República e nomeou a atual equipe econômica de “dream team”. Ele citou a introdução do teto dos gastos, a retomada do crescimento e as quedas da inflação e da taxa básica juros.

Autor: Francisco Carlos de Assis
Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com