segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Notícias

In:

Bruno Soares e Jamie Murray avançam à semi do Rio Open; Bellucci e Sá perdem

O Brasil tem um representante nas semifinais da chave de duplas do Rio Open, um ATP 500 que está sendo realizado em quadras de saibro no Jockey Club Brasileiro, no Rio de Janeiro. O mineiro Bruno Soares, junto com o britânico Jamie Murray, derrotou a parceria formada pelo checo Roman Jebavy e pelo argentino Leonardo Mayer por 2 sets a 0, com parciais de 6/3 e 6/4.

Cabeças de chave número 2 no Rio Open, Bruno Soares e Jamie Murray terão pela frente nas semifinais os espanhóis David Marrero e Fernando Verdasco, que na última quarta-feira passaram pela dupla formada pelo mexicano Santiago González e pelo chileno Julio Peralta por 2 sets a 1 – parciais de 7/5, 3/6 e 10 a 2 no match tie-break.

Quem não conseguiu chegar nem às quartas de final foi a dupla brasileira formada por Thomaz Bellucci e André Sá. Nesta quinta-feira, pelas oitavas de final, os dois foram eliminados pelos argentinos Andres Molteni e Horacio Zeballos, que ganharam com tranquilidade por 2 sets a 0, com parciais de 6/1 e 6/3.

André Sá, nomeado nesta quinta-feira para o cargo de consultor de relações com os jogadores da Federação Internacional de Tênis (ITF, na sigla em inglês), disputou no Rio de Janeiro o seu penúltimo torneio na carreira profissional. Sua despedida será no Brasil Open, um ATP 250 que será realizado na semana que vem em São Paulo.

HOMENAGEM – O ex-jogador Carlos Kirmayr, número 6 do ranking de duplas em 1983, foi homenageado pela organização do Rio Open, nesta quinta-feira, na quadra principal Guga Kuerten. Kirmayr chegou à 61.ª posição no ranking de simples e alcançou sucesso nas duplas, sendo um dos precursores da modalidade no Brasil.

O paulista foi o primeiro brasileiro a disputar o Masters de duplas, em 1983, com Cássio Motta, tornando-se a quinta melhor dupla do mundo. O ex-jogador conquistou 10 títulos na sua carreira profissional.

Carlos Kirmayr defendeu o Brasil na Copa Davis por 15 anos e teve sucesso quando partiu para a carreira de treinador, acompanhando a argentina Gabriela Sabatini na conquista do US Open de 1990.

O ex-jogador recebeu uma placa comemorativa das mãos do diretor de Relações do Rio Open, Ricardo Acioly, e do diretor do torneio, Luiz Carvalho. “Agradeço meus pais por me incentivarem a jogar tênis, meus técnicos, pelos aprendizados, meus adversários, que me fizeram buscar meu máximo, e meus alunos, com quem aprendo muito”, disse Carlos Kirmayr, muito emocionado.

Autor:
Copyright © 2018 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com