terça-feira, 20 de novembro de 2018

Notícias

In:

Palmeira dos Índios desativará lixão até 2018

Por Assessoria
Julio Cezar e assessores discutem encerramento do lixão

Julio Cezar e assessores discutem encerramento do lixão

O prefeito de Palmeira dos Índios Júlio Cezar e a secretária municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos Anna Luísa França assinaram hoje (24) um documento em resposta à solicitação do Consórcio Regional de Resíduos Sólidos do Agreste (Conagreste), que determinou a escolha uma área onde, em breve, ficará localizada a Estação de Transbordo do município, que vai funcionar no Povoado da Salgada e servirá para diminuir os custos do transporte que leva os resíduos sólidos da cidade para a Central de Tratamento de Resíduos (CTR), instalada em Craíbas. Os governos anteriores tinha um prazo de encerrar os lixões até janeiro de 2014, mas não cumpriram a lei. Agora, a Prefeitura de Palmeira segue um cronograma e desativará o lixão até 2018.

Após a viagem feita pelo prefeito e a secretária a São Luís, no Maranhão, quando eles e outros prefeitos alagoanos visitaram as Centrais de Transbordo do estado, esta é mais uma etapa cumprida para atender a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), conforme o decreto federal 12.305/10, que exige a extinção dos lixões em todo o Brasil. A ação atende, também, a determinação do Ministério Público Estadual para o encerramento das atividades dos lixões em Alagoas. “Mantivemos o compromisso de que o lixão de Palmeira é um dos que finalizará suas atividades. Em processo de desativação de lixão, o município já tem o local para a implantação da Estação de Transbordo, que funcionará no Povoado da Salgada e poderá atender municípios como Paulo Jacinto, Quebrangulo, Belém, Tanque D’Arca, Estrela de Alagoas e Minador do Negrão, caso os prefeitos também decidam depositar os resíduos sólidos na Estação de Transbordo de Palmeira”, explicou a secretária Anna Luísa França.

De acordo com o prefeito Júlio Cezar, este é mais um passo que o município dá no processo estabelecido para a desativação do lixão. “Com a implantação da Estação de Transbordo, a próxima etapa é fazer a desativação do lixão e começar a intensificação da coleta seletiva. Não adianta desativar o lixão e o lixo permanecer nas ruas. Esta cidade produz muito lixo e só com a coleta seletiva, em parceria com a Associação de Catadores de Materiais Recicláveis, o problema será resolvido. Para isso, também iremos intensificar o cronograma da coleta do lixo na cidade”, explicou Júlio Cezar.

E continuou. “Quando desativarmos o lixão será um grande avanço para Palmeira, pois ele só degrada o meio ambiente, polui o subsolo e o lençol freático, provoca a morte de animais e doenças nas pessoas. O Ministério Público tem uma parcela fundamental de contribuição com os nossos trabalhos e Palmeira será, em breve, um dos municípios que poderá dizer que encerrou as atividades do lixão a céu aberto. Sem dúvida, compartilho todo esse trabalho da prefeitura e da secretária Anna Luísa com o Ministério Público Estadual que tem nos auxiliado demais na maneira correta de agir quanto à desativação do lixão do nosso município”, finalizou o prefeito Júlio.

Compartilhe:
Tags: ,,,

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com