quarta-feira, 21 de novembro de 2018

Notícias

In:

São Francisco de Assis

No centro da Itália, com características medievais está a cidade de Assis, onde nasceu uma das pessoas mais marcantes na história da humanidade. Trata-se de São Francisco que enriqueceu a humanidade e obteve a simpatia não só de cristãos mas de não-cristãos de todos os cantos e recantos do mundo.

O pai de Francisco via no filho condições apropriadas para o sucesso nos trabalhos do comércio. Importante é lembrar     que a mãe de Francisco tinha sólida formação religiosa e, com isso, conseguiu que seu querido filho evitasse más companhias.

Antes de outras considerações sobre Francisco de Assis, vamos transcrever algo da oração de outubro escrita por Patrícia de Moraes:

“Nossa Senhora Aparecida, protetora de Nossa Pátria, mistura de cores de um povo que carrega consigo um pouco do mundo todo, intercedei por nós. Irmão Francisco de Assis, que com a natureza e com cada membro dentro da fraternidade sempre se preocupou, acolhei-nos”.

No começo de sua juventude, Francisco sonhava com glória militares. Para isso fez sua inscrição no exército e partiu contente para a guerra. Guerra que era feita entre a cidade de Assis e a cidade de Perusa. A verdade é que foi preso e colocado numa cadeia rigorosa e muito sofreu por cerca de um ano.

 Quando já estava restabelecido, voltou para o lar. Aí foi amadurecendo e sentiu que devia partir para a paz e não para a guerra.

Um dia, pela manhã, andando a cavalo, Francisco avistou um leproso. Francisco tinha verdadeiro horror à lepra. Seu coração inclinava-o a fazer algo em prol do doente, mas com todo o cuidado possível.

 Procurou em seus bolsos alguma moeda, jogou em direção ao chagado e fugiu rapidamente. Contudo sentiu profundamente que aquele ser todo chagado sofria muito mais pelo desprezo que sentia das que dele fugiam.

 Num verdadeiro esforço titânico, desceu do cavalo, aproximou-se daquele de quem todos fugiam apavorados e beijou a mão toda deformada pela lepra. Perto daquele lugar havia um leprosário. Francisco resolve visitar a casa dos leprosos que, devastados pela doença, sofriam muito mais pela ausência dos próprios familiares.

 Outros jovens, amigos de Francisco, admirados pela atitude corajosa daquele que tinha verdadeiro pavor da lepra, resolveram unir-se numa vida de oração, penitência e pregação da palavra de Deus.

 Francisco reconhece que tal movimento deveria ter a devida aprovação do Papa. E La se vai Francisco até o Vaticano. Inocêncio III, percebendo a firme vontade de levar a mensagem de Cristo, deu a devida permissão e ainda existe a Ordem dos Franciscanos.

Dentre tantos fatos ocorridos com São Francisco, vamos lembrar este: O Natal onde residia seu amigo João. Devia o referido amigo organizar um presépio com uma manjedoura e junto a esta devia estar um boi e um burro. Isso para lembrar o nascimento de Jesus Cristo.

 A verdade é que, na noite de Natal, muitas pessoas de várias partes iam, com fachos e lanternas, numa caminhada alegre e festiva. Por sua vez Francisco com seus companheiros frades cantavam louvores diante da manjedoura.
Daí é que veio o uso daquilo que hoje se denomina lapinha ou presépio. Ideia de São Francisco de Assis que faleceu no dia 3 de outubro de 1226, com 44 anos de idade.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com