sábado, 20 de julho de 2019

Notícias

In:

Unidades de saúde preparam programação para a Semana da Luta Antimanicomial, em Palmeira

Por Assessoria

A Secretaria Municipal de Saúde de Palmeira dos Índios, por meio dos Centros de Atenção Psicossocial (Caps) Osvaldo Silva e Espaço Renascer, promove de 16 a 18 de maio de 2017 a Semana da Luta Antimanicomial no município. A programação conta com capacitação para profissionais das áreas de Educação, Saúde e Assistência Social, além de uma caminhada de conscientização sobre o dia da Luta e o que ela representa.

O Movimento da Luta Antimanicomial se caracteriza pela luta dos direitos das pessoas com sofrimento mental. Dentro dessa luta está o combate à ideia de que se deve isolar a pessoa com sofrimento mental em nome de pretensos tratamentos, noção baseada apenas nos preconceitos que cercam a doença mental. O Movimento da Luta Antimanicomial faz lembrar que, como todo cidadão, estas pessoas têm o direito fundamental à liberdade, o direito a viver em sociedade, além do direto a receber cuidado e tratamento, sem que para isto tenham que abrir mão de seu lugar de cidadãos.

O Movimento da Luta Antimanicomial teve seu início marcado em 1987, em continuidade a ações de luta política na área da saúde pública no Brasil por parte de profissionais de saúde. Naquele ano a discussão sobre a possibilidade de uma intervenção social para o problema da saúde mental, e dos absurdos que aconteciam nos manicômios, ganhou relevância, permitindo o surgimento específico deste movimento. Assim, a participação paritária de usuários de serviços e seus familiares se tornou característica deste movimento. Em 1987 o dia 18 de maio foi definido como o Dia Nacional da Luta Antimanicomial, data comemorada desde então em todo o Brasil.

“A semana da luta antimanicomial é uma data muito significativa para as unidades que trabalham com usuários que sofrem de transtornos mentais e dependência química, pois é uma forma de mostrar para a sociedade que esses usuários devem ser reinseridos na sociedade, e assim, desmistificar a ideia do louco. Sempre abordamos temas relevantes para os profissionais que já trabalham com esse público, como também para os que possam vir a trabalhar e assim, melhorar a forma de atendimento e acolhimento a essas pessoas”, explicou a coordenadora do Caps Osvaldo Silva, Vera Lúcia.

 

Confira a programação:

16/05 – Capacitação para Profissionais da Educação

Local: Auditório da Unimed (Hotel São Bernardo)

8 h – Credenciamento e Café da Manhã

Apresentação: música e exposição de vídeo em nome da razão; o Holocausto brasileiro 1979 de Helvécio Ratton

9 h – Mesa de abertura

10 h – Coffee Break

10 h:15min – Desmistificando a ideia do louco e do dependente químico: Marcos Leandro e Taciana de Araújo

11 h: 10 min – Debate

 

17/05 – Capacitação para Profissionais da Saúde e Assistência Social

Local: Auditório da Unimed (Hotel São Bernardo)

8 h – Credenciamento e Café da Manhã

Apresentação: música e exposição de vídeo em nome da razão; o Holocausto brasileiro 1979 de Helvécio Ratton

9 h – Mesa de abertura

10 h – Coffee Break

10 h:15 min – Assistência ao usuário em crise na saúde mental: Alice Correia e Lucas Kayzan

11 h:10 min – Debate

 

18/05 – Mobilização e apresentações

Local: Praça São Pedro

9 h – Caminhada com usuários das unidade de saúde, profissionais e familiares

Compartilhe:
Tags: ,,,

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com