domingo, 18 de agosto de 2019

Notícias

In:

Prefeito acredita que irão circular R$ 2 milhões na economia de Palmeira, durante o São João do Povo

Por Cinara Corrêa

Com um discurso otimista e, ao mesmo tempo, duro em relação aos antecessores, o prefeito Júlio Cezar lançou, oficialmente, sexta-feira, 19, a programação oficial do ‘São João do Povo 2017’, apresentando o calendário das festas juninas em Palmeira dos Índios. O evento vai acontecer de 12 junho a 1º de julho, em uma megaestrutura que será montada na Praça do Skate e adjacências.

“Palmeira tem um viés literário, que nenhuma outra cidade alagoana tem; com escritores que registraram a nossa história, que hoje todo mundo conhece”, informou, lembrando, primordialmente do eterno Graciliano Ramos. “Somos a cidade que mais produz artistas, como Jacinto Silva, Carlos Moura, os pais de Dominguinhos, Cremilda Forrozeira, Júlio de Sá, Danielzinho, Forró Supapo, entre tantos cantores ilustres”, enumerou. “Veia artística para cultura como Palmeira nenhuma outra cidade tem”, enfatizou.

O prefeito lembrou que, assim como Arapiraca ficou conhecida como a Capital do Agreste, Palmeira dos Índios está se apresentando como a Capital da Cultura de Alagoas. Informou que o investimento no São João será de R$ 200 mil reais e que a administração contará com a parceria da iniciativa privada, para poder arcar com os custos de todas as atrações e infraestrutura. Júlio Cezar estima que um valor em torno de dez vezes mais irá movimentar a economia da cidade nesse período. “Imaginem o ISS que irá entrar nas contas do município”, comemorou, destacando, sempre que apostar em Cultura não representa um gasto. “Cultura não é gasto; é investimento e se, em cinco meses, fomos capaz de resgatar o Carnaval, investir em mais de dez obras, anunciar concurso publico para o ano que vem, pagar os salários em dia, adiantar o 13º salário e renegociar dívidas, vou dizer uma coisa: tendo doutor Márcio Henrique como vice e eu como prefeito, se não roubar, dá”, advertiu, lembrando, ainda, que a administração municipal está organizando as licitações, o que não acontecia até assumir a Prefeitura, em janeiro deste ano. “Estamos vivendo um modelo de administração, que gasta somente na hora que pode”.

“O prefeito não conversa com fornecedor; fornece para a Prefeitura quem tiver o menor preço e a nossa prioridade é para com o comércio local que, asseguro, está protegido com o que a lei garante”, colocou, adiantando que agora está licitando a reforma e a construção de praças e ginásios.

Júlio Cezar ainda criticou os que colocam na crise a desculpa para a falta de gestão. “Crise é discurso para fraco, para quem não quer trabalhar; quem veio de baixo, nasce, cresce e morre na crise e asseguro mais uma coisa: nada é maior do que Palmeira”, comentou.

Nem Caruaru, nem Campina Grande

Pela primeira vez, o São João de Palmeira dos Índios contará com uma cidade cenográfica, a exemplo das tradicionais cidades que promovem as festas juninas no Nordeste brasileiro. Além dos shows musicais, a festa contará com cidade cenográfica da Vila do Forró, concursos de quadrilha e de ornamentação de ruas, apresentações folclóricas, exposição de artesanato e parque de diversões.

Júlio Cezar enalteceu as tradicionais festas promovidas nas cidades de Caruaru e Campina Grande, mas garante que Palmeira não vai ficar devendo nada a nenhuma delas.

“Palmeira passará a ser outro grande destino para as festas juninas. Não ficaremos devendo nem a Caruaru, nem a Campina Grande; o Jorge de Altinho, o Assizão que cantam lá vão cantar aqui”, adiantou, informando que a administração municipal já está trabalhando junto aos hotéis e pousadas da cidade, para que recebam bem o visitante. Da mesma forma, está sendo articulado um trabalho junto ao núcleo local de gastronomia. “Todos terão oportunidade de vender e os turistas, de conhecer nossos produtos, dando oportunidade às nossas quituteiras, doceiras, às fabricantes de sanduíches caseiros, sempre destacando que as nossas tradições de gastronomia são muito marcantes”, enalteceu. “Aos poucos, vamos resgatando essas realizações, que foram nossos compromissos de campanha; estamos fazendo a cidade se reerguer das cinzas, hoje temos capacidade de investir e de retomarmos as obras”, vibrou.

Júlio Cezar, que retornou de Brasilia, onde ao lado do vice, dr. Márcio Henrique, participou da 20ª Marcha dos Prefeitos, destacou ainda: “Hoje, não voltamos mais de Brasília com o saco vazio; Brasilia coloca dinheiro aqui na nossa cidade. Nunca a bancada federal de Alagoas injetou tantos recursos em Palmeira como agora; quase 100 por cento da nossa bancada está colocando emendas para melhorias no nosso município”.

Júlio Cezar finalizou seu discurso, na apresentação oficial do calendário junino, dizendo que o São João não é da Prefeitura, “mas de uma cidade que deu ao Brasil tantos filhos ilustres e que, merecidamente, está recebendo o título de Capital da Cultura de Alagoas”.

CORAGEM – O vice-prefeito, dr. Márcio Henrique, enfatizou a coragem do prefeito Júlio Cezar, em resgatar o que a cidade tem de mais forte, “que é o nosso laço cultural”.

A secretária municipal de Cultura, Isvânia Marques, assegurou que os artistas da terra estão sendo prestigiados na programação e destacou a volta do concurso de quadrilhas, com a participação das escolas e, também, o retorno dos palhoções em vários bairros da cidade.

 


 

 

Compartilhe:
Tags: ,,,,

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com