domingo, 18 de agosto de 2019

Notícias

In:

Segurança no manuseio do leite materno deve acontecer desde a coleta à distribuição

Por Ivan1

Curso foi ministrado nesta quinta (22) e sexta-feira (23), no Hotel Tambaqui

Curso foi ministrado nesta quinta (22) e sexta-feira (23), no Hotel Tambaqui

O leite materno é considerado o alimento mais completo para o bebê e os benefícios da amamentação também são comprovados pela Política Nacional de Alimentação e Nutrição e de Promoção da Saúde. Para sensibilizar sobre a segurança no manuseio de leite, desde a coleta à distribuição, os profissionais de saúde dos municípios alagoanos participaram de capacitação nesta quinta e sexta (22 e 23), no auditório do Hotel Tambaqui, em Maceió.
O evento, que foi realizado pela Coordenação Estadual dos Bancos de Leite Humano, órgão vinculado à Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), e o Hospital Universitário (HU), aconteceu no período que faz menção ao Dia e Semana Estaduais de Doação de Leite Materno, instituído em 19 de maio, prosseguindo até o dia 25, de acordo com Legislação Estadual.
Lactaristas, técnicos de enfermagem e nutricionistas participaram do curso, que teve como objetivo garantir a segurança no manuseio do leite, desde o momento da coleta até a distribuição para bebês que se encontram internados em UTI e UCI nenonatais. Segundo a coordenadora estadual dos Bancos de Leite Humano, a nutricionista Rosângela Simões, é fundamental sensibilizar mulheres saudáveis para doação.
“Estão aptas para doação as mães saudáveis, que realizaram o pré-natal e fizeram exames laboratoriais”, explicou Rosângela Simões. Ainda segundo a nutricionista, não é aconselhável manter o hábito antigo das amas de leite, porque os vírus podem ser passados para bebê através da amamentação. “Para inativar esses vírus, o leite doado deve ser encaminhado para o Banco de Leite Humano, onde passará por uma série de processos que garantem a qualidade do alimento”, acrescentou.
O que acontece com o leite doado – O leite passa pelo processo de coleta, pré-estocagem e degelo, até seguir para a seleção e classificação. Nesta etapa, são analisadas a acidez aceitável, a caloria, a cor, o cheiro e a embalagem. Deve ser usado um vidro de café solúvel com tampa plástica, que deve ser esterilizado. Para garantir o controle de qualidade, na sequência, o leite passa pelo reenvase, pasteurização, resfriamento, coleta de amostras e análise microbiológica.
O leite é então armazenado no freezer e distribuído, podendo ficar armazenado (congelado) por até seis meses ou armazenado (resfriado) por até 24 horas. No caso do leite coletado que ainda não passou pelo processo de análise e pasteurização, o congelado tem validade de até 15 dias e o resfriado pode ser conservado por até 12 horas.

 Doação – No Brasil, a Rede Brasileira de Bancos de Leite, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), distribui leite materno para os bebês internados em UTIs Neonatais. Em Alagoas, existem cinco Bancos de Leite. Para doar, as mães podem ligar para o Hospital Universitário (3322.3717) ou Maternidade Santa Mônica (3315.4434), em Maceió.
No interior, a doação de leite humano pode ocorrer no Banco de Leite Ivete França, em Arapiraca; na Santa Casa de Misericórdia de São Miguel dos Campos, em São Miguel dos Campos, e na Maternidade Santa Olympia, em Palmeira dos Índios. Existem ainda três Postos de Coleta: em Maceió, na Casa Maternal Denilma Bulhões e no Hospital Nossa Senhora da Guia, e em União dos Palmares, no Hospital São Vicente de Paula.

Compartilhe:

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com