domingo, 23 de setembro de 2018

Notícias

In:

Gastos exorbitantes com shows em Palmeira revelam desleixo com o dinheiro do povo

Por Vladimir Barros com Jornal Tribuna do Sertão
Show de Frank Aguiar para inaugurar obra custou R$110 mil segundo edital de licitação; engenheiro Marcos Parreco diz que obra custou R$330 mil

Show de Frank Aguiar para inaugurar obra custou R$110 mil segundo edital de licitação; engenheiro Marcos Parreco diz no facebook que obra custou R$330 mil

carnaval1111

Carnaval de Palmeira dos Índios custou R$223 mil

O que mais se fala em Palmeira dos Índios é o custo das apresentações musicais realizadas no último mês de fevereiro e março na cidade. Os valores chegam a quase meio milhão de Reais, computando-se a festa de inauguração de pavimentação de algumas ruas (pequenas) e uma pracinha na periferia de Palmeira dos Índios e o carnaval (apenas os dias de momo). As atrações foram contratadas pelo prefeito James Ribeiro (PSDB)
Os recursos (próprios) gastos na festança dariam para minorar o sofrimento da população que se destaca entre os piores IDH’S do país e vive beirando a linha de extrema pobreza.
Mas para os “cabeças pensantes” do município, o que faz a alegria do povo é “pão e circo”. Já que o “pão” doado é comedido, pode se esbanjar com o “circo”, já que as autoridades fazem vistas grossas para o ato esbanjador.
A atitude joga no lixo o legado do ex-prefeito Graciliano Ramos, que era rigoroso com as contas públicas e que ficou famoso após entregar ao governador Álvaro Paes os famosos relatórios que esmiuçavam as contas da pequena prefeitura de Palmeira dos Índios.
Os gastos excessivos atuais põe a economia do município palmeirense em perigo.
E não precisou investigação de Sherlock Holmes ou dos “arapongas” do extinto SNI para desvendar o mistério. Foi bastante os internautas buscarem a leitura (sempre sadia) do Diário Oficial do Município e espalharem pelas redes sociais, os documentos e a indignação.
Além de tudo isso, o advogado palmeirense Klenaldo Oliveira, torcedor do CSE, o time da cidade, também não se fez de rogado e revelou em sua página no facebook a quantia reservada pelo município para o tricolor palmeirense que em rodada recente do campeonato apanhou de 7 a 1 para o CSA e ainda viu seus jogadores comemorarem o feito fazendo um verdadeiro bacanal em um apartamento no centro da cidade.
O jogo de domingo em que o tricolor palmeirense venceu o CEO por 4 a 0 em nada aplacou a ira do cidadão quando soube d vultosa quantia orçada nos cofres do CSE.
Disse o advogado Klenaldo pelo facebook: “O documento é público, por isso não faz mal divulgar! O orçamento de 2014 aprovado para o Município de Palmeira dos Índios prevê uma contribuição para o Clube Sociedade Esportiva – CSE de R$ 988.125,00, o que equivale a R$ 247.000,00 por mês, durante o Campeonato Alagoano. Quase um milhão de reais para adoecer todos os torcedores do coração! Na contramão, os recursos para a Gestão da Assistência Farmacêutica Básica pouco passa de R$ 845.000,00. Em resumo, os torcedores tricoloridos vão todos morrer, porque depois da doença nem remédio vai ter pra recuperar!”.
O vereador Márcio Henrique (PPS) também ficou bastante surpreso com a gastança e vai apurar o episódio, para se necessário tomar providências.
Outro fator que gera surpresa é que a contratação desses shows em Palmeira dos Índios – realizada através de licitação – foi feita por uma empresa local J.M.H da Luz – ME que também ganhou outros certames licitatórios em municípios como Maribondo e Quebrangulo, inclusive o do show de Frank Aguiar.

Se o show é do artista e político Franjk Aguiar, por que pagar a uma empresa local para fazê-lo? Qual a ligação desta empresa de Palmeira dos Índios que fez o carnaval de Palmeira dos Índios e de outras cidades como Quebrangulo com o artista paulista? Onde está o contrato desta empresa palmeirense com o o artista Frank Aguiar?

Talvez por isso já exista informações extra-oficiais que o Ministério Público Estadual vai buscar essas informações para se necessário agir conforme a lei.

Perdulários
Um velho ditado diz que “macaco que nunca comeu banana, quando come, se lambuza” se aplica perfeitamente aos perdulários do município palmeirense que gastam dinheiro a rodo quando existem outras prioridades (urgentes) na cidade que infelizmente padece aos frangalhos.
Na carta ao governador Álvaro Paes, o então prefeito Graciliano escreveu: “Sr. Governador. Esta exposição é talvez desnecessária. O balanço que remeto a V. Exa. mostra bem de que modo foi gasto em 1929 o dinheiro da Prefeitura Municipal de Palmeira dos Índios. E nas contas regularmente publicadas há pormenores abundantes, minudência que excitaram o espanto benévolo da imprensa. Isto é, pois, uma reprodução de fatos que já narrei, com algarismo e prova de guarda-livros, em numerosos balancetes e nas relações que os acompanharam”.

Como se vê a imprensa da época também se espanta como a atual com os gastos da prefeitura de Palmeira dos Índios. Ontem, com o detalhamento e o rigor na aplicação e execução das contas públicas. Hoje, com a degeneração e o desleixo com o dinheiro do povo.
Que pena, Graciliano!!! Perdoai!!! Eles não sabem o que fazem!!

Veja abaixo editais com a homologação das licitações das festas em Palmeira dos Índios


Compartilhe:
Tags: ,,

Comente no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com